MITOS E VERDADES SOBRE O SUPERAVIT ( 2 ) - NÚMEROS

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Na postagem de ontem procurei demonstrar que o superavit era necessário para muita gente, aposentados e pensionistas que necessitam desses recursos para equilibrarem seus orçamentos.  Portanto, o superavit não é um plus, não é uma demasia. E´uma necessidade, como se viesse compensar aqueles 20,1% que nos garfaram em 1995/1996. Uma aposentada do Ceará que fez um comentário no blog confirma a minha versão.
Hoje vou tratar dos números do superavit e da forma de distribuição prevista na resolução 26 do CGPC. Existe muita confusão a respeito, talvez devido a que muitos nunca leram a malfalada resolução e outros não a entenderam, até porque é de difícil entendimento, de propósito ou porque foi toda retaliada.
Sei que alguns mestres duvidam dos números, especialmente porque derivam de cálculos atuariais, que não é uma ciência exata, parte de premissas e pressupostos. Há até quem ache que o superavit não existe. Respeito a opinião deles.  Estão repletos de argumentos válidos. Mas é preciso navegar nesse mar revolto e escolher rotas para enfrentar as ondas, mesmo com dúvidas e nuvens negras no horizonte. Faz parte do processo.
Estão errados ou exagerados os cálculos ?  Examinem-se os números e caso se encontrem manipulações o caminho é processar os responsáveis, pois não adianta mais só reclamar. Errou numa matéria dessa magnitude, tem que ser responsabilizado. Está protegendo  interesses do BB e não os da PREVI ?  Merece o nosso repúdio, como assistidos, e deverá ser punido por isso, pois não aguentamos mais adiamentos, como bem disse o presidente da AFABB-RS, em sua nota. Essa deve ser a nossa postura e para podermos questionar esses números, nossas associações nacionais, mais poderosas, necessitam contratar auditores e atuários competentes, de notório saber, para nos municiar devidamente. Recursos elas possuem para tanto.DSC00303
Os números levantados e apresentados pelo Sasseron, diretor de seguridade da Previ, na reunião com o BB são os mesmos que já foram divulgados no meu blog, em primeira mão. Mas vou repeti-los, especialmente para aqueles que não leram as postagens anteriores, eis que desde a semana passada meu blog dobrou de visualizações, passando de 300 para mais de 600 por dia. Estou chegando próximo de minha meta que é de 1.000. Por favor, me ajudem a alcança-la divulgando o blog entre os colegas.
Os números são os seguintes: – Com base no balanço de 31 de dezembro de 2009, o superavit apurado é de 44 bilhões e a reserva especial é de 22 bilhões.  Aplicada a resolução 26 em cima desse número, resulta um superavit de 17 bilhões, para ser distribuido, a metade para os participantes, assistidos e pensionistas, e a outra metade para o patrocinador BB. Oito e meio para cada um. Compreenderam ?  E´ isso aí.
De acordo com cálculos de Sasseron, se for decidido dar um aumento percentual de 20% nos benefícios de todo o mundo, aposentados e pensionistas, pelo prazo de seis anos, o valor seria de 7,3 bilhões, sobrando ainda 1,2 bilhões. A suspensão das contribuições por tres anos representaria 2,2 bilhões. Volto a repetir.  Isso tudo com base em 31.12.2009. Se em vez de 20% for dado um aumento de 10% por seis anos, custaria 4,8 bilhões, e sobraria 3,7 bilhões.
Convém salientar, face alguns comentários equivocados no blog, que o BB apropria o valor que estima receber, em um determinado período, em seus balanços. O fato de ter contabilizado 14 bilhões não quer dizer que dos 17 bilhões nos sobram apenas tres.
Por outro lado, em cash, dinheiro vivo, o BB não recebe tudo de uma vez, mas de acordo com a própria resolução 26, a reversão de valores é feita de modo gradativo, aos poucos, num prazo mínimo de 36 meses e máximo não estipulado, na mesma proporção que a outra parte, nós, vai recebendo. E´ essa a minha interpretação dos artigos 14 e 25, parágrafo 2°, da resolução 26.
E, por último, é possível fazer acordo ressalvando o não reconhecimento da resolução 26.
O SUPERAVIT EXISTE, caso contrário vamos responsabilizar, demitir, mandar prender, quem efetuou os cálculos, a partir do próprio atuário da Previ até a diretoria e conselhos que os homologou.
E se existe, não é virtual, DELENDA CARTHAGO, SUPERAVIT JÁ ! 

13 comentários:

Anônimo disse...

Colega Medeiros.

Como podemos entrar em contato direto com voce,sem postar comentários?.

Existe algum fale com o Medeiros.

José Luiz disse...

AGORA SIM, A COISA FOI ESCLARECIDA!!!
PARABENS DR. MEDEIROS!
NO MEU PONTO DE VISTA, EM DIVIDINDO 0 SUPERAVIT COM O BB, QUE NO MEU ENTENDIMENTO EXISTE MESMO, CASO CONTRARIO CADEIA NELES,DEVIAMOS ACEITAR ESSA DIVISÃO, DESDE QUE ESCLARECIDOS PUBLICAMENTE - ÀS ASSOCIAÇÕES DE APOSENTADOS E AOS ASSOCIADOS - TODA A METODOLOGIA QUE RESULTOU NO VALOR DE 44 BI, SIMPLESMENTE POR ETICA, LEGALIDADE E PRUDENCIA E, SE FOSSE O CASO, PROCESSAR AQUELES QUE EVENTUALMENTE PRATICARAM EVENTUAL "erro" ATUARIAL OU CONTABIL.

MEDEIROS disse...

Em geral, estou na AFABB RS, onde sou consultor jurídico, todas as tardes. O telefone é 51 (porto alegre) -3212 2920 -
Segunda feira, dia 25, estarei viajando. O resto da semana estou à disposição.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros
Não concordo apenas com o item Suspensão de Contribuições.
A Previ e o BB têm que entender que, este valor deverá ser deduzido do total a ser distribuido, pois ninguem recebe( as suspensões), mas ambas as partes são beneficiadas. Porisso o custo tem que ser deduzido do total, caso contrário impactará apenas a parte dos participantes. O senhor concorda?
50% representa R$ 1,1 bilhão.

Anônimo disse...

Colega MEDEIROS.

O Senhor teria como informar quanto a previ recebe no contrato entre a Previ e o Grupo Abril O Edifício Birmann 21, na Marginal de Pinheiros.

Sabe-se que tudo começou na era FHC/SERRA mais o Cumpanheiro Lula continuou o contrato sem nós aposentados e pensionistas sabermos quanto a previ recebe por este aluguel.

Grato

Sandro Olegário Damasceno

Anônimo disse...

Doutor Medeiros.

Não sou daqueles que se pode chamar de otimista demais e, tampouco, ser chamado de pessimista demais, mas confesso que de 2007 para cá fui incorporado de um otimismo exagerado fundamentado, basicamente, pela expectativa que se avistava a cada ano e a cada superávit com números extremamente generosos que a PREVI apresentava.

A forma como colocastes o assunto, neste POST, não significa, a meu ver, um balde de água fria em nossas esperanças, mas talvez uma correção em otimistas que estavam fora dos trilhos (como meu caso).
Evidente se torna que o BB vai querer levar grana, e muita, até porque precisa aumentar o seu patrimônio para poder emprestar mais em 2011 e, também, porque já focou fazer aquisições internacionais e aumentar a sua capilaridade no país, via aumento do número de agências.

Como este imbróglio todo será desfeito e que alternativas serão oferecidas para os participantes é um segredo. Segredo para nós porque para as cabeças pensantes tudo já está delineado e articulado. Também o tempo para a solução deverá se arrastar de novo.

Penso que focastes bem ao antever que uma das alternativas vai ser a alteração da resolução 26 pelo governo. Não vou ser um otimista exagerado DE NOVO. Se alterar não deverá trazer benefícios aos participantes.

Colega Medeiros,por último gostaria de lhe parabenizar,estas fazendo um trabalho ROBUSTO E MAGNÍFICO.

Sandoval - Goiás

Anônimo disse...

Medeiros.

Voce já conheceu bem de perto a realidade da Previ.
Pois bem vou lhe fazer uma pergunta franca e objetiva:

Por qual ou quais motivos a Previ,ainda aplica tantos recursos em bolsa de valores?
Pelo que sei a Previ tem um planejamento sobre onde deverás investir nos próximos anos,essa incerteza,mais os resultados produzidos na crise internacional de 2008,não poderia fazer com que os administradores da previ botasse a mão no freio.
E pela sua otica a Previ não deveria fazer como a FUNCEF que aprovou e OUVIDORIA no plano deles,não seria o caso de a Previ também fazer o mesmo.

Atenciosamente

Maria Gorete

MEDEIROS disse...

Difíceis algumas perguntas, que vou anotando paa futuras postagens, porque não dá para responder aqui, pois o espaço é curto. Mas vou tentar.
A exposição em rnda variável está elevada, sim. 70% em renda variável é um perfil muito arriscado, mas fora 2008, vem dando certo, porque a PREVI é um dos sustentáculos da bolsa de valores. Mas essa estratégia tem que ser revista. O correto, perfil clássico, seria 40% em renda variável, no máximo 50%. Se prevê algumas turbulências para 2011 e 2012.
Aluguel para o grupo Abril no meu tempo como conselheiro fiscal era um valor bem alto, coerente com o mercado. Houve ocasião que a ABRIL atrasou e a gente mandou cobrar, o que foi feito. Atualmente não sei. E´ uma relação complicada, pois se trata de um dos principais veículos de comunicação. Até me surpreendeu que tivessem imóvel locado. Lembrem que a Manchete tinha aquela sede no Rio !

Anônimo disse...

DR. MEDEIROS,

A reunião dia 26 com a Previc, quanto à distribuição do Superávit, pode na sua opinião trazer avanços à negociação ou não devemos ter esperanças em recebermos algum valor ainda em 2010.

Anônimo disse...

DR. MEDEIROS,

A reunião dia 26 com a Previc, quanto à distribuição do Superávit, pode na sua opinião trazer avanços à negociação ou não devemos ter esperanças em recebermos algum valor ainda em 2010.

MEDEIROS disse...

Sou um otimista incorrigível. Tenho esperanças que a reunião do dia 26 seja inclusive decisiva PARA A DISTRIBUIÇÃO DO SUPERAVIT

Anônimo disse...

Pq o senhor vislumbra a distribuição para este ano senhor Medeiros?Pq acha que dia 26 chegarão a um acordão, já que a Previc deve referendar o que já está na resolução 26?

MEDEIROS disse...

iSSO É O O COLEGA PENSA QUE A previc VAI FAZER, NÃO O QUE EU PENSO. O BB precisa legitimar suas apropriações antes do fechamento do balanço, para acabar com quaisquer dúvidas das agencias de análise.