PARA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DE FLORES

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

 

Estamos na primavera, com certeza. A chamada estação das flores. Aqui em Porto Alegre é a época das azaléias, dos ipês e dos jacarandas floridos. As hortências começam a se manifestar e en breve Gramado fica linda. Isso por aqui.  Mas por aí CADÊ FLORES ?DSC00024

Refiro-me a Flores, o atual presidente da PREVI, mais calado que coroinha em procissão.  Todo mundo falando em superavit e o Flores mudo, silencioso, uma esfinge. Estará viajando ?  Ausente dos acontecimentos ?  Omisso ? Quem sabe ? 

Afinal Flores é o presidente da PREVI, o nosso presidente. De que lado ele está, do BB que o indicou, do fundo de pensão que preside, para o qual tem dever fiduciário, ou dos participantes e assistidos.

Ontem, terça feira, houve reunião da diretoria da PREVI.  Na pauta o superavit. Nossos diretores eleitos deveriam nos relatar o que aconteceu na reunião. Os números levantados pelo Sasseron foram discutidos e homologados ?  O posicionamento do Sasseron na reunião com o BB foi aprovado ?  Quantas indagações o pessoal anda fazendo, meu Deus !

Sabe-se, pela imprensa, que Flores é cogitado para presidente do BB caso a Dilma vença a eleição. Portanto, não pode se queimar.  Dizem as más linguas que não é bom para nós, assistidos, termos um presidente  visado para o cargo máximo de nosso patrocinador, o Banco do Brasil.  Mas como seria bom que Flores viesse para o nosso jardim.  Daria um colorido e um perfume todo especial para nossos anseios e angústias.

Existem colegas que duvidam de Flores.  Ele não cheira, nem resplandece. comentam. Só aguarda na moita do jardim.

Não é o que eu penso. Li atentamente a biografia dele publicada nos jornais.  Ouvi pacientemente sua longa entrevista radiofônica. Gostei de alguns pontos.  Reprovei outros. Mas o saldo foi positivo para mim. Ganhou muitas fichas quando recebeu a comissão organizada pelo Adrião e deu atenção especial para a mesma.  Infelizmente, convidado pelo Adrião só na última hora, não pude ir. Teria gostado de conhece-lo pessoalmente. De fixa-lo olho no olho.

Na minha modesta opinião Flores vai desencantar a qualquer momento. Sua biografia demonstra que ele não é de ficar na moita. Que seja para o bem. E´ uma garantia para nós, por exemplo,  de que intervenção não ocorrerá mais na PREVI, ao menos enquanto ele for presidente. Ele não deixará manchar o seu excelente currículo, mesmo que seja atribuida culpa aos conselheiros deliberativos. Essa ameaça está fora de cogitação conforme ficou claro na reunião de Brasília.

Flores,  a primavera está aí. Dá o ar de tua presença e diz que teu discurso de posse é para valer, que a nossa Previ é perene e que os nossos direitos adquiridos serão respeitados, e que, afinal, antes do fim do ano, antes de teu retorno ao BB, o superavit será distribuido de maneira justa e equânime.

8 comentários:

Anônimo disse...

É Dr Medeiros,
Já que o Sr conhece o currículo de Flores, vamos confiar que o homem cuide bem desse jardim.

MEDEIROS disse...

Conheço o que foi publicado pela imprensa. Impressionou-me a carreira de quem começou no BB com 14 anos como menor aprendiz e até há pouco respondia pela vice presidencia de operações de crédito, responsável pela grande expansão dessa área. De perfil moderado, economista, pós graduado, tem atualmente 44 anos.

rosalina_de_souza disse...

Caro Doutor Medeiros.

Na data de 18/10/2010,manifestei a minha indignação com este senhor,menor aprendiz,que hoje administra nossos recursos.
Mas até agora não tive resposta talvez amanhã ela venha.
Bom trabalho Colega Medeiros,são de pessoas como o senhor que necessitamos nesta ardua batalha.

Senhor(a) rosalina de souza

A PREVI confirma o recebimento da mensagem abaixo.
Aguarde nosso retorno em breve.

Gerência de Atendimento
PREVI

Data: 18/10/2010
Tipo: Reclamação

Mensagem: A PREVI
Além das condições expressas no regulamento do plano de benefícios, documento contratual no qual constarão os seus direitos e as suas obrigações, os participantes e assistidos têm os seguintes direitos:

- pleno acesso às informações relativas a gestão do patrimônio do plano de benefícios;

- proteção do Estado em relação à defesa dos seus direitos;

- inserção nos Conselhos Deliberativos e Fiscal das Entidades Fechadas de Previdência Complementar.

Dentre as suas obrigações, independentemente da prerrogativa fiscalizadora do Estado, destaca-se o dever de conhecer as regras do plano e zelar pelo seu fiel cumprimento.
Nosso Presidente Ricardo Flores não tem dado a devida atenção a lei 109/2001 e a resolução CGPC26 que diz que por força da mesma lei este ano de 2010 teremos que rever as premissas do plano de benefícios de numero 1 da previ.
O patrocinador, os eleitos da previ e as associações já voltaram a discutir o processo de reestruturação, mas a previ até o momento nada noticiou acerca dos fatos, e não tem feito como em 2006 que teve presente a frente das negociações que resultou na RENDA CERTA processo que beneficiou muitos colegas com cifras milionárias.
Resta saber de que lado a previ esta, se da lei, ou se da inoperância, do descumprimento do que a lei diz, do que nos assegura ou se teremos que mover ações individuais ou coletivas para ver nossos direitos respeitados.
É inadmissível que tenhamos tão pouco caso por parte da administradora de recursos de 120 mil famílias, com cifras bilionárias que não faz o dever de casa, não zela pelos estatutos e regulamentos, será que teremos que adotar medidas no sentido de DENUNCIAR A PREVI A “PREVIC” para que ela possa tomar as devidas providências?.
Aguardo a manifestação da previ sobre essa minha preocupação,já temos noticias que a AFA-PARANÁ já formalizou junto ao judiciário o bloqueio dos recursos superavitários da previ a fim de que possa ser cumprido o que a lei determina que é a revisão do plano de benefícios da previ de numero 1. Lei 109/2001.
Atenciosamente
Rosalina de Souza
Matrícula previ 18.161.320-4
Pensionista

Anônimo disse...

Caro Medeiros,

Somente não entendi a sua colocação de que ao final do ano o Flores vai estar de volta para o BB. Você já da como favas contadas a atual eleição e ele retornaria como Presidente do BB ou você acha que se houver mudança de rumo em 31.10 ele retornaria como posto efetivo, já que com outro governo (PSDB) ele não voltaria para o BB nem como vice-presidente (cargo anterior) e nem como presidente (cargo que se especula).

MEDEIROS disse...

Meu palpite é que ele volta para o BB de qualquer jeito, qualquer que seja o resultado da eleição. O perfil dele não é o de presidente de fundo de pensão, onde está transitoriamente.

Anônimo disse...

Doutor Medeiros.

O Senhor poderia esclarecer,por sua visão juridica,não apenas como aposentado,mais ai levando anos de experiência nos tribunais,qual postura a Previ terá até 31 de dezembro de 2010.
Qual a interpretação da lei,a Previ não distribuindo o superávit conforme regras da lei 109/2001 e como determina esta resolução CGPC26:ela seria da alguma forma penalizada?Restaria qual postura a ser adotada pelas nossas entidades?E se estivessemos discutindo DEFICIT já estariamos contribuindo,ou tariamos discutindo.
Na sua visão não esta faltando Boa vontade daqueles que compõe a mesa de discusões ou o SUPERÁVIT é apenas invensão contábil?.
Si puder mi atender gostaria de saber sua modesta opinião.

Paulo Arcanjo - Sobral CE

Anônimo disse...

Medeiros,
E ainda falam que não distribuíram SUPERÁVIT!!! E não só um...
Superávit de decepção;
Superávit de desespero;
Superávit de vergonha;
Superávit de injustiça;
Superávit de indignação;
Superávit de incompetência;
Superávit de demagogia;
Superávit de cara-de-pau;

O que não devemos deixar é que nunca nos falte superávit de auto-estima e de bom senso para que nunca mais votemos em pessoas incompetentes e interesseiras como esses eleitos que ai estão que de reunião em reunião o ano vai se acabando sem melhorias alguma pra nossa classe.
Medeiros, você já deve ter visto que os mais velhos estão sendo duplamente penalizados aqueles que já tem mais de 69 anos.
Só aumentam os nossos descontos, agora foi o ES o que mais teremos que pagar!!!

Anônimo disse...

Vou fazer uma matéria a respeito dos mitos e das verdades sobre o superavit, pois tem muitos colegas em dúvidas a respeito de pontos que já estão devidamente consolidados, como a questão contábil