AINDA SOBRE O SUPERAVIT E UMA HISTÓRIA DE FEITIÇO

sábado, 13 de novembro de 2010

 

Passada a ressaca de ontem, gostaria de comunicar que vou responder as diversas perguntas, todas válidas, e dúvidas que restaram a respeito da reunião com o BB sobre superavit.  Para isso já entrei em contato com a Isa Musa e o Lahorgue, que participaram da reunião, os quais vão esclarecer os pontos mais obscuros e duvidosos, certamente.  Eu também, posteriormente, vou meter o meu bedelho e dar a minha opinião jurídica. Portanto, tenham só mais um pouquinho de paciencia, e aguardem as respostas nos próximos dias.

Semana que vem deverão acontecer somente reuniões intemediárias. Não haverá mesa de negociação. Tem o feriado e o Congresso da ABRAPP em Recife. Na semana seguinte, que inicia em 22, deverá haver nova reunião com o BB, que poderá (escrevi PODERÁ) ser definitiva, se as coisas correrem bem.  Definitiva, entendo, no sentido de que os pontos principais poderão ser acordados. O que ficar de fora continuará a ser discutido. Mas já poderemos ter resultados concretos que possam seguir os trâmites oficiais.

Portanto, em meu ponto de vista, a jornada é em tres tempos, apenas.  Se não for, é porque as forças ocultas e do contra colocaram areia no negócio.  Mas vamos torcer que isso não aconteça. ogum

Sábado, fim de semana, sempre dou um refresco no blog. Hoje vou falar sobre feitiçaria, pois alguns fizeram pouco quando o colega da Bahia falou em OGUM, em Umbanda e em Candomblé. Não postei os comentários descrentes nem irônicos. De minha parte, sou daqueles que acredito em tudo aquilo que lida com as energias positivas ou negativas do Universo. E sou homem de fé, em Nossa Senhora, nos Santos e em meu anjo da guarda.  E se não fosse, há muito estaria perdido !

Um caso interessante aconteceu comigo em Uruguaiana, como advogado, lá pelos idos de 1970. Estava no escritório, quando a secretária me avisou que um senhor de idade avançada queria falar comigo sobre uma questão trabalhista. Respondi que ela sabia que não era minha área de especialidade. A secretária disse que o senhor insistia em falar comigo, tinha sido mandado por uma dona de um terreiro de umbanda, a qual eu tinha defendido numa causa importante, impedindo que a despejassem. Relutante, o atendi.

Informou-me que tinha sido despedido de uma madeireira, onde trabalhara por muitos anos. Recebera o pagamento da metade a que tinha direito e a outra metade receberia daí a trinta dias. Quando retornou na empresa lhe disseram que nada mais tinha a receber, pois havia dado quitação de todos os seus direitos. Mostraram o recibo que assinara. O senhor se lembrou então que desconfiara na ocasião porque o recibo tinha um espaço enorme em branco, entre o texto e o lugar para assinar. Agora esse espaço estava preenchido. Havia sido enganado de maneira vil e desonesta.

Eu conhecia os donos da madeireira. Um deles era meu companheiro de Rotary. Estava viajando. O outro era o que cuidava da parte administrativa e o que enganara o senhor.  Disse para o senhor que iria falar com o meu companheiro quando esse retornasse da viagem e ver se resolvia a situação.

Voltou alguns dias depois, mas eu não tinha uma solução porque meu companheiro estava no Paraná e ainda não tinha retornado. Foi então que o senhor me disse que ia viajar para o Uruguai, ali pertinho, e que estavva tranquilo, pois no terreiro de Umbanda haviam feito um despacho e lhe garantido que tudo ia ficar a contento. Nesse entrementes, porém, quem lhe prejudicou ia receber um sofrimento merecido.

Dias depois me encontrei com o dito cujo na porta do Banco do Brasil. Eu o conhecia também. Ele estava caminhando com dificuldade. Rengueando de uma perna. Perguntei o que havia acontecido. Me respondeu que não sabia. Um dia levantara com dor na perna. Havia consultado dois médicos e ninguém sabia nada. Ia a Porto Alegre procurar um especialista. Fiquei todo arrepiado. Falei para ele que parecia feitiçaria. Ele respondeu que todas as noites na fente de sua casa havia um despacho, com galinhas, cachaça, charutos, essas coisas. Mas ele não acreditava, passava com o automóvel por cima, e pegava as galinhas para dar para seus cachorros.

Pouco depois chegou meu companheiro. Faalei do caso. Examinou e me falou que o senhor tinha razão. Houve fraude. Mandou despedir o chefe dos recursos humanos e só não brigou mais com seu sócio, porque ele estava de cama, muito mal, com uma dor na perna insuportável, estavam falando até em amputação. Eu fiquei apavorado.

Aí chegou o meu cliente. Paguei para ele o dinheiro que já me tinha sido disponibilizado. Ficou muito feliz, perguntou dos honorários, não é nada não, só tinha um favor para lhe perdir. Qual é, doutor ?  Queria que desfizesse o despacho, o homem já tinha tido a lição que merecia, por favor. Fique tranquilo, doutor. Olhe, achei que não ia me cobrar, a minha amiga já tinha me alertado, mas lhe trouxe do Uruguai esse doce de leite que é uma delícia. E se foi.

Encontrei-me dia seguinte com o sócio da madereira na rua andando normalmente e com a fisionomia alegre. Ué, ficou bom da perna. Pois é, respondeu-me, hoje me levantei sem dor. Uma maravilha ! Um milagre ! Não sei o que aconteceu.

Existe um ditado espanhol que diz o seguinte: Yo no acredito em brujas, pero que las hay, las hay !  Gostaram ?

E´ preciso respeitar as entidades.

BOM FIM DE SEMANA, BOM FERIADÃO.

 

DELENDA CARTHAGO – SUPERAVIT JÁ.

32 comentários:

Anônimo disse...

Sr. Medeiros,

Converse novamente com o Lahorgue:
1. É preciso haver retroatividade para, pelo menos, 01.01.2010.
2. A Lei 109/2001 é claríssima: o resultado apurado do superávit é o dia 31.12.2009. Falar em balancete específico para fins de distribuição é uma segunda agressão à Lei 109.
3.Se o Banco nega agora o 360/360, inclusive para os que atingiram os 360 meses na aposentadoria, pagando regiamente até 31.12.2006; por que aceita dos que estão na ativa que desde 01.01.2007 não recolhem mais?
4.Há uma enorme disposição do Banco em privilegiar os que estão na ativa, tanto que na concessão dos 20%, ele BB diz: "..aos aposentados, pensionistas E aos funcionários da ativa que venham a se aposentar.
Quer dizer: se um funci da ativa se aposentar em 2011, por exemplo, ele já recebeu na ativa parte do superávit através do PLR, e terá direito, ainda, aos superávit de 2007,2008,2009 que foi gerado enquanto ele ainda estava na ativa!

Por favor, sr. Medeiros, nos forneça o endereço do terreiro de Umbanda visitado pelo velhinho do texto para fazermos um despacho contra Dida, Nery, Pimentel,Penna...

Ari zanella - Joinville-SC

Anônimo disse...

Tchê compadre.
Tenho acompanhado teu Blog e o do Marcos, e os comentários que tenho lido cada vez que se aborda um assunto, são de arrepiar.
É um verdadeiro muro das lamentações, jogo de desaforos, egoísmos e por aí vai.
Lembrei de um texto que li certa oportunidade em uma revista chamada “Lingua Portuguesa” a qual nem sei se ainda é editada, e que me fez meditar sobre as artimanhas que ora se apresentam nas negociações sobre o tal “Superavit” .
Este texto tratava da “urgência da necessidade”, o que me parece, os leitores dos Blogs não estão levando em consideração em suas manifestações, na ânsia de livrarem-se de uma situação de incômodo, como forma de restaurar a sensação ainda que passageira de solução ideal. Tenho a certeza que, em uma situação destas, na qual se exige com “urgência o atendimento das necessidades”, a ausência de resultados neste sentido somente poderá causar um aumento diário do estresse. É certo que quem se preocupa apenas com o urgente, o futuro, sem a meditação sobre as necessidades, poderá lhe ser apavorante e ameaçador. Devemos além de nos preocupar com a urgência, também cuidar das ncessidades, pois somente desta forma estaremos construído um futuro responsável.
Entendo salvo melhor juízo que o equilíbrio entre o “urgente e o importante” é basilar para o atendimento dos interesses de ambas as partes (se justas ou injustas é outro problema), e o único caminho para que esta negociação chegue a um resultado que atenda as ansiedades e necessidades de todos.
José F.C.Rovere

Anônimo disse...

JUSTIÇA SEJA FEITA!

E O DINHEIRO DOS PEDEVISTAS?

“É que, neste momento, estou muito preocupado com os nossos colegas que não tiveram a chance de se aposentar e foram empurrados para fora do Banco, sem direito a uma boa parte das reservas matemáticas da Previ. A maioria dos pedevistas está passando dificuldades e assistindo de longe o debate sobre o espetacular superávit da nossa Caixa de Previdência, com a certeza de que uma parte dele lhe pertence”. Valmir Camilo.

Prezados Colegas,

O Valmir Camilo reconheceu publicamente o direito quanto à reserva matemática dos funcionários demitidos do Banco do Brasil nos PDVs de 1995/1997. Muita gente foi lesada e a Previ ficou com todo o dinheiro fingindo que ainda não sabe de nada. O Valmir Camilo foi o único que saiu em defesa dos colegas injustiçados.

Parabéns Valmir, que Deus te abençoe!

Júlio Barros
PDV-1995

http://www.youtube.com/watch?v=xTIutYzmujE

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,
A Reserva Especial para revisão do plano, conforme balanço de setembro da Previ, é de R$ 23.742.960 mil. Com esses numeros será possivel emplacar a proposta 360/360. Tomara aque nossos repreentantes insistam. É possivel sim.

MEDEIROS disse...

Ari, o Lahorgue vai a Joinville na próxima semana participar dos jogos da AABB. Entra em contato direto com ele, acho interessante. Sobre o terreiro, saí de Uruguaiana em 1975 para Porto Alegre, a fim de assumir uma diretoria do BADESUL, e perdi o contato. Não sei se o terreiro ainda existe. A mãe de santo certamente já morreu. Já era idosa naquela época. Mas existem outras rezas...

Anônimo disse...

Medeiros,
A propósito de que você disse que ainda não está descartada a proposta de 360/360, que pode ser carta na manga, pergunto: Caso 360/360 seja aprovada, na sua opinião, o aumento de 20% seria em cima da memória de cálculo da aposentadoria Previ corrigida e atualizada?

Anônimo disse...

Gostaria de saber se este superavit de mais e R$ 23 bilhões já leva em consideração dos desenquadramentos, a nova tábua de mortalidade e a redução dos juros.

Anônimo disse...

Doutor Medeiros

Meus Respeitos.

Bom primeiramente Gostaria de lhe dizer que a questão do superávit,tomou outro rumo após declaração da colega Isa Musa de Noronha no blog www.previplano1.com.br.

Pelas palavras empregadas,a mesa de negociações é uma farsa,porque quem realmente decide é o Conselho Deliberativo da Previ, e neste caso sem o uso do Voto de minerva,devendo únicamente um dos eleitos vender seu voto em troca de favores.

Na minha modesta opinião, deveriamos acabar com a farsa, acionarmos o Conselho Fiscal da Previ e o Conselho Consultivo do Plano 1 para Denunciar o CONSELHO DELIBERATIVO DA PREVI,Por não comprir a lei 109/2001.

Não se justifica mais essas reuniões Doutor Medeiros,e para lhe ser sincero não sei porque a AFABB-RS,através do seu presidente ainda insiste em continuar nessas reuniões.

Se o Conselho Deliberativo pode resolver tudo sozinho,a única explicação para este jogo de cena, é que o Banco após tomada sua decisão e ver uma leva de ações sendo entregues ao judiciario irá dizer foi tudo acordado entre as associações, e ouve o aval dos associados,só que aposentado e pensionista não vota,e ganhará mais uma vez o pessoal da ativa, que vota é bombardeado pelo banco e Anabb a VOTAR.

Eles o pessoal da ativa farão mais uma vez a distribuição desse superávit.

Enquando as associações não mudarem o foco, os aposentados e as pensionistas e até mesmo os pdvistas vão continuar sem solução.

Eu ainda confio no senhor, acho que pessoas como o senhor tem muito a acrescentar nesta luta desigual,mais acho também que as associações e a Federação pecaram e muito, e mais uma vez haverá distorções graves nesta negociação.

Anônimo disse...

Que conversa e esta de pedevistas que não tiveram a chance de aposetar-se e foram empurrados para fora do Banco? Os caras receberam incentivos para sair e não pensaram em dividir com ninguem. Tiveram a opção de manter seus recursos no fundo e continuar contribuindo. Fizeram contas, acharam vantajoso pular fora do Barco no meio do caminho e agora vêm com esta conversa fiada para boi dormir. A quem querem enganar? Há os que saíram e se deram muito bem, é bem verdade que são poucos, pois a maioria era de gente que não tinha chances dentro do Banco e menos aina fora dele. Aconteceu de muitos continuarem pagando suas contribuições e aposentarem-se. Vamos contar a história sem mentiras e invencionices.

Anônimo disse...

Vou lhes dizer uma coisa tche:

Se não sair o 360/360 agora certamente haverá uma enxurrada de ações judiciais contra a Previ!!!

AGORA QUEROMEU, disse...

O pessoal do PB1 ainda na ativa (+de 33 mil), inclusive os 924 "ativos externos" -aumentou +20 no último trimestre de 2010- NÃO CONTRIBUEM NADA DESDE 2007 para a sua aposentadoria !e vão se aposentar como se tivessem pago 360 meses (30 anos!)

O pessoal já aposentado do PB1, continuou contribuindo ao plano ALÉM DOS 360 MESES (30 anos)até 2007, quando suspenderam todas as contribuições, inclusive as do BB.

Em nada melhorou seus benefícios, pois continuaram proporcionais 250/360, 270/360, 300/360, etc...igual ao momento em que se aposentaram...

Está aí uma grande injustiça com os aposentados pagantes que passaram da 360ª contribuição e um enorme FAVORECIMENTO INDEVIDO àqueles das ativa, que nada pagam e vão se beneficiar com isso, ainda ganhando PLR por conta do nosso superavit...
Vão corrigir estas falhas ?-Veremos-
Sou um dos 28.800 que NADA GANHARAM DA DIVISÃO DA NOSSA FORTUNA !!!!!

Antonio Matos disse...

Sr. Medeiros até então me interessava a respeito da distribuição do superávit da Previ, no entanto após a última reunião de negociação fiquei decepcionado com o que ficou praticamente definido. Ora 20% sobre o benefício (só o da Previ) sem teto mínimo e sem retroatividade é uma piada. Completei 30 anos de contribuição em agosto, como serei tratado? No último superávit esse pessoal fez a festa. E agora me diga algo. Um abraço.

bigsaranha disse...

ALÕ dr. MEDEIROS:

A foto do blog é emblemática e define a sua pessoa. Só falta o lenço MARAGATO!!! Aí,ficaria perfeito!!! Senhor dos raios e senhor das razões!!! Tudo muito justo e nos conformes das divindades. Saravá para você meu irmão, de um mineiro laico, que como você, acredita nas possibilidades do direito das pessoas(que não é o meu caso, pois recebo na casa de dois digitos).

Russel Furtado dos Santos
Belo Horizonte

Fátima disse...

MEDEIROS.

Favor.

Nos próximos contatos que você tiver com algum de nossos representates gostaria que os esclarece mais sobre a propostas das pensionistas que altera o percentual de 60 % para 80%.

Em que pese os 20% já que meio acertado pelos negociadores essa proposta é uma forma de corrigir o absurdo que é cometido com todos os aposentados que um dia partem para outro lado da vida.

Já não bastasse as dezenas de planos e índices que não foram repassados paras as aposentadorias. Essa brutal redução em suas pensões é fruto, também, desse estupendo superávit que está sendo discutido a ferro e a fogo.

São décadas que parte dos salários dos aposentados são surrupiados pela previ ancorada no regulamento do plano o qual determina e regula o cálculo de como a pensão será paga ao descendentes.

Uma tremenda inconstitucionalidade.

Fátima - Brasília(DF)

Anônimo disse...

Visitem http://www.abraprev.org.br e conheçam a verdade sobre a Fraude do Decreto Lei 81.240/78.

Saiba qual foi o Fermento usado para o bolo do Superávit crescer tanto assim.

Independentemente do fato de ter se dado bem ou não após o PDV, uma fátia desse bolo pertence aos pedevistas.

Quem não reconhece isso ou é ignorante ou é desonesto mesmo.

Júlio Barros
PDV-1995

wilson luiz disse...

PREVI - DEMONSTRAÇÃO DO ATIVO LÍQUIDO
SETEMBRO/2010
R$ 42.8 bilhões - Superávit
19.1 " - Reserva de Con-
tingência
23.7 " - Reserva Especial

Resolução 26, artigo 14 - "deve ser INTEGRALMENTE destinado(para revisão do plano de benefícios) o valor apurado a título de Reserva Especial há mais de três exercícios ou, no caso de ter havido revisão voluntária, o seu remanescente".
Caro Dr. Medeiros, acho que o Sr. deveria conversar novamente com seu amigo Lahorgue para que ele coloque, na próxima reunião para discussão do superávit, que os associados exigem o cumprimento do artigo 14 da Resolução 26, ou seja, que pelo menos 50% da Reserva Especial seja utilizado para revisão dos benefícios, até o último centavo.

Anônimo disse...

Dr.Medeiros,
Sai no PDV em 1995. Houve, conforme documentos, o comprometimento do Banco recolher à Previ a parte da contribuição patronal mais a do funcionário pedevista, sôbre VP e anuêncios durante 05 anos, até sua aposentadoria, ficando a contribuição sôbre horas extras, para manter a mesma base de cálculo, inteiramente a meu cargo. Aposentei-me em 1998. A partir de então, as contribuições à Previ, tanto patronal como do aposentado externo, ficaram integralmente a meu cargo. Então o óbvio salta aos olhos: 50% do superávit que o Banco quer levar, na verdade, a partir da data da minha aposentadoria, me pertence, concorda comingo? Então deveremos, quando esta negociação se realizar, cobrar da Previ esta metade da parcela que não pertence ao patrocinador e sim ao pedevista aposentado.
Gostaria de sua opinião a respeito.
Obrigado

Anônimo disse...

Colegas,
as dúvidas principais que precisam ser esclarecidas:
- o percentual de 20% incidirá somente sobre a parcela PREVI ou sobre parecelas PREVI+INSS ?
- haverá retroatividade até janeiro/2010 ?

Anônimo disse...

Colegas, não entendo por que não tem reunião nesta semana de 15 a 19.11.2010.
Até parece que estamos tranquilos e que temos todo o tempo do mundo.

Esse assunto deveria ser PRIORIDADE MÁXIMA DE TODOS OS ENVOLVIDOS. A maioria de nós aposentados passamos por dificuldades financeiras.

Porque não marcar reuniões aos sábados ?

O TEMPO URGE !

Luis Eustáquio de Castro - Araxá-MG

Anônimo disse...

Enquanto ficarmos de olho no prato alheio, vendo o que uns receberam e outros não, o BB vai passeando sua prepotência, pois vê que não há união. Esqueçam os que uns já receberam pelos critérios escusos da Previ e vamos nos centrar sobre que podemos obter com justiça. Da-lhe Dona Isa. Confio em sua lealdade.

Anônimo disse...

Prezado Doutor Medeiros.

(Acho) como o senhor gosta muito de frisar, que não teremos muito tempo para discutir,as melhorias nesta negociação do superávit.

Mas a maior preocupação de todos,inclusive do Blog do Marcos Cordeiro é a seguinte:

a) os 20% será pago em cima de que verbas?.

B) será retroativa, a que data?.

c) dará tempo de pagar antes do natal,haja vista ter um longo caminho a percorrer,Conselho Deliberativo,Dest,Previc até rodar a folha de pagamento.

d)O Senhor teria como saber na última distribuição quanto tempo levou até a homologação final da SPC.

e)A associação da qual o senhor faz parte AFABB-RS tem alguma previsão ou estudo de quanto tempo mais estas negociações podem se arrastar,haja vista que o senhor mesmo foi a favor de esperarmos mais um pouco e se nada fosse acrescentado nestas negociações intão passariamos a adotar outras medidas mais qualificadas ao pleito.

E para terminar,surgiu uma dúvida? muitos pedvistas continuaram a contribuir para a previ, tanto com a parte pessoal + a patronal, como fica a questão da distribuição, essas pessoas terão o direito de receber as duas partes, a parte que seria destinada ao patrocinador como será feito este acerto, ou os mesmo terão que recorrer ao judiciario para ter direito a esta outra metade.

São estas as minhas dúvidas, que gostaria que o senhor assim que tiver um tempo possa me responder.

Respeitosamente

Leonardo Aragão

Anônimo disse...

Colega Medeiros

O Valmir Camilo extrapolou suas funções de Presidente do Conselho Deliberativo da ANABB. Só pensa na sua promoção pessoal, e não desconfia que já foi tarde...!!As propostas mirabolantes de distribuição do superávit apresentadas no passado emperraram as negociações. Quem deveria ter representado a Entidade seria seu próprio Presidente Emílio Santiago?.

Anônimo disse...

Meu Bom Medeiros.

Eu fico imaginando o que aconteceria se a diretoria eleita da Previ não estivesse comprometida com a defesa de nossos interesses e o presidente da Previ não fosse acessível às conversações com os associados....
É prá rir ou chorar?

Afinal Podemos ou não ter melhorias ainda em 2010?.

Salvador -BA

Anônimo disse...

Doutor Medeiros

A CONTRAF-CUT só pode representar seus associados que são os funcis da ativa do BB. Depois de aposentados quem nos representa são outras Entidades, ANABB por exemplo, nunca uma Entidade Sindical por mais respeitada que seja ! Isso está cheirando a propaganda político eleitoral...um despropósito para assunto tão sério e urgente...

Anônimo disse...

Medeiros
Minha opinião é a seguinte: Por mais que se conteste na Justiça, não creio que seja possível reverter o fato de que o Banco levará 50% do Superavit. Gostaria de saber se a lei (ou o que for) deu ao BB esse direito também o obrigaria a contribuir caso houvesse um DEFICIT (improvável, mas possível).
Acho que levará anos para que recebamos alguma coisa - se recebermos - devido à morosidade da Justiça.
Enquanto isto, acho que a PREVI deveria de alguma forma socorrer quem - como eu - não está aguentando esperar.
O que mais preocupa é que, mesmo uma solução simples desta, depende da PREVIC e outros órgãos "embaçadores", parece não ter a menor condição de ser implantada nesta reta final de 2010?
Já estamos no meio de Novembro e nenhuma notícia, nada que nos dê algum alento.
Muito triste esta situação.

MEDEIROS disse...

Estou chegando em casa de volta do feriadão e leio a enorme quantidade de comentários, todos consistentes, cada um examinando um ou mais aspectos da questão superavit, sob o prisma pessoal ou de um grupo ou de todos. Aguardo a resposta da Isa Musa. Até agora nada. Vou reiterar. Sobre os pedevistas que insistem em saber minha opinião jurídica, respondo que não é minha praia, não conheço bem a matéria. Existem outros advogados ótimos tratando do assunto. Sobre o aumento do percentual das pensionistas de 60 para 80% vou ingressar com ação judicial aqui no Rio Grande do Sul. Tenho adiado na esperança de que as promessas de campanha sejam cumpridas o que até hoje não aconteceu. Acho que as tratativas continuam acontecendo esta semana, só a reunião de negociação é que não está marcada.

Anônimo disse...

"Sobre os pedevistas que insistem em saber minha opinião jurídica, respondo que não é minha praia, não conheço bem a matéria".(Palavras do Dr Medeiros).

“É que, neste momento, estou muito preocupado com os nossos colegas que não tiveram a chance de se aposentar e foram empurrados para fora do Banco, sem direito a uma boa parte das reservas matemáticas da Previ. A maioria dos pedevistas está passando dificuldades e assistindo de longe o debate sobre o espetacular superávit da nossa Caixa de Previdência, com a certeza de que uma parte dele lhe pertence”. (Palavras do Dr Valmir Camilo).


Prezado Dr Medeiros,

Com base nas suas palavras acima, acredito na sua sinceridade ao afirmar ignorar o nosso assunto em relação ao superávit, diferentemente, do Dr Valmir Camilo que manifestou publicamente e, acredito também que com sinceridade.
A diferença entre vocês, na minha leitura, é que um conhece o assunto e o outro nem tanto.
De qualquer forma, agradeço pela sua resposta.

Júlio Barros
PDV-1995

MEDEIROS disse...

Prezado Julio,
Não me interprete mal e não corte uma parte do meu comentário, por favor. O que eu disse é que não conheço o assunto juridicamente e por isso não vou me arriscar a dar uma opinião sobre algo que não estudei e que existem outros , como o dr. Maia, que se debruçaram e ajuizaram causas a respeito. Se você acompanhasse o meu blog desde o início saberia que manifestei aqui a minha solidariedade aos pedevistas. E essa história de me comparar com o Valmir Camilo não foi legal. Ele é ele e eu sou eu. Não estamos concorrendo.

Anônimo disse...

Boa Noite senhor Medeiros, venho acompanhando o seu blog que pra mim tem sido de grande valia com as informações que aqui obtenho.,mas triste e lamentável tantos colegas que aqui vem só pra dizer besteiras.. Com relação aos pdvistas tambem fui funcionaria na época e não me lembro do banco obrigando ninguem sair, pedir as contas, me lembro sim que aqueles que sairam nos pdvs saim porque não gostavam do banco, só viviam pra falar mal e acharam que com o que o banco lhes ofereciam iriam ter uma vida melhor.,. ah!!! coitados a maioria se deu mal.. Agora eu lhe pergunto., será mesmo que o Judiciário iria mesmo ficar contra o Governo só pra nos fazer feliz? Imagine uma ação contra a Previ.. a maioria de nós nem estaríamos aqui pra ver o resultado. Que pena!!!!
Vamos torcer pra que venha alguma coisa, prá mim o que vier é lucro nessa altura do campeonato, e não recebi nemhum superavit em toda minha vida.
Abraços sr. Medeiros e Parabéns!!!!!

Anônimo disse...

Prezado Dr Medeiros,

Gostaria de externar minha admiração e gratidão a você por este blog tão importante para todos nós.
Apresento minhas sinceras desculpas por provocar qualquer mal entendido ao comparar parte das falas (apenas) de cada um dos ilustres colegas de Banco do Brasil.

Júlio Barros
PDV-1995

Anônimo disse...

Reserva Especial para Rev. de Plano (23.742.960)- SET 2010.

Fonte:http://www.previ.com.br/portal/page?_pageid=57,1185450&_dad=portal&_schema=PORTAL

Anônimo disse...

Dr Medeiros , parabéns por estar pensando nas pensionistas!!! Nossos falecidos maridos pagaram a vida toda para termos uma pensão digna e agora recebemos esses 60% sendo que a CEF paga 80% para as pensionistas!
Isso é uma vergonha!!!!!