SOBRE A EXCLUSÃO DOS P-220 DO SUPERAVIT 2010

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Achei o fim da picada.  Não entendi e não me conformei com o fato da verba P-220 ter ficado de fora da distribuição do superavit.

Ainda mais que não houve a indispensável divulgação do assunto. Foi uma surpresa constatada com tristeza no dia 18 de fevereiro. Houve quem adoeceu e quase morreu.

Enquanto a grande maioria se rejubilava com os 20% do benefício especial os 6.600 colegas que tiveram , parcial ou totalmente, garfados o seu reajuste, choravam de aborrecimento ou de raiva.

A justificativa até agora é pífia.  A Previ só repassa o pagamento do BB, não tira nenhum proveito.

AH !  A contribuição de vocês ?  Não, essa contribuição não é para pegar sua parcela do superavit, é para fazer um fundo para as viuvas de voces. Quando elas forem pensionistas, aí terão direito. Voces não.

Tem colega que está de acordo.  Quem mandou esse pessoal não aderir à Previ ou ingressar com ação trabalhista contra o Banco do Brasil.  Bem feito !  Agora aí está a represália.  Além disso esses velhinhos ganham muito bem, justamente por conta da incorporação do que ganharam na ação e ainda levaram uma grana de atrasados quando a ação terminou.

Outro me disse : mas que sorte que perdi minha ação trabalhista de incorporação dos anuenios, senão agora estaria nessa depressão.

Não se justificam esses posicionamentos nem a discriminação imposta aos P-220, aos quais, na verdade, devemos muito, pois são a nossa velha guarda, os que abriram caminho para nossas conquistas, e os que não se dobraram nunca contra as injustiças cometidas pelo BB contra seu funcionalismo, acionando a Justiça do Trabalho.  São 600 que não aderiram à Previ e 6.000 que conquistaram valores parciais em ações judiciais.

A situação atual, em meu entendimento, é a seguinte. Existe quem ache que o pagamento do benefício especial temporário (20%) incumbe mesmo à Previ em virtude da contribuição que foi feita. Nenhum deles lembra de ter lido ou de ter sido algum dia feita uma referencia que essa contribuição era para sua pensionista usufruir.

Existe quem ache que o pagamento dos 20% incumbe ao BB porque tem a obrigação de reajustar seus pagamentos do benefício sempre que houver reajuste na Previ, como ocorre anualmente em junho pelo INPC.  Reajuste extraordinário, mesmo decorrente de superavit, tem que ser coberto também pelo BB.

Existe quem ache que o assunto será resolvido administrativamente.  Outros que somente por via judicial.

Uma coisa tenho certeza, no momento, enquanto aguardo os acontecimentos para ajuizar a competente ação em nome dos P-220.  HÁ NECESSIDADE IMPERIOSA DOS P-220 FAZEREM O PROTESTO JUDICIAL DE RESSALVA DE DIREITOS.  Giffoni . Schuster e Mário foram os primeiros a fazer, outros os seguiram, mas ainda são poucos. Espero que a irmandade dos P-220 apoie essa idéia. E torço para que o BB e a Previ compreendam que é justa a reivindicação deles, como medida de isonomia e de Direito.

DELENDA CARTHAGO - PROTESTO JÁ - O SUPERAVIT É NOSSO TAMBÉM

14 comentários:

luiz carlos disse...

P-220

Ora pois, o banco não recebeu a sua parte do superavit? Não tem justificativa prá não repassar a parte do seu pessoal. Se estão alegando que os aposentados não produziram superavit, cabe a pergunta: o que o BB fez para merecer 7,5 bi?

acf disse...

caro medeiros, postei hoje procuração e copia da transferencia do deposito para entrar juntamente com voce na ação pretendida. estamos juntos nessa.

antonio carlos ferreira macedo
0.886.190.0

Anônimo disse...

Pessoal do P-220?
Sâo poucos, ganham muito bem, receberam uma bolada por conta da vitória na ação, incorporaram em seus salários, enfim, parece mesmo que não sejam prioridade.
Existem MUITAS(OS) situações URGENTES. O que tiver que ser aprovado precisa atingir/beneficiar o maior número possível de colegas.
O foco não pode ser este mesmo!!

Anônimo disse...

Cá ente nós, meu amigo anônimo de 16:46. Sem Banco não haveria Previ. Fundo de Pensão Fechado, de Estatais, sempre terá a figura do Patrocinador. O que ocorre é que o BB é do Governo e todo Governo, seja ele de direita ou esquerda, quer o dinheiro dos fundos de pensão. Bobo de quem pensa que dona Isa e os negociadores estão negociando com o Banco. Estão enfrentando é Dona Dilma!

Anônimo disse...

Meu caro anônimo das 19:33,
Você está agindo exatamente como o Banco deseja. Dividir para reinar. Os P-220são poucos então não devemos nos precupar com eles? Lembra-me a história daquele judeu na Alemanha nazista: primeiro vieram e levaram o meu vizinho da direita, ninguém reclamou, depois levaram meu vizinho da esquerda, silêncio absoluto, em seguida meu vizinho da frente, sem protestos. Por fim vieram me levar e não havia mais ninguém para reclamar ou defender-me.
Será que é para isto que as associações existem, para preocuparem-se apenas com a maioria, alguns, os menos aquinhoados, por quaisquer razões?
Responda a estas questões em sua consciência e veja se consegue entender que os P-220 não ganharam nada além dos salários que mantinham na ativa.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,


A cúpula do BB quer aprovar o aumento do teto para 100%, e deixar 100.000 assistidos da PREVI chupando o dedo, como fizeram em 2007, aumentando o teto para 90%.

A grande maioria que não viu em 2007 e nem verá agora nenhum reajuste, pode pleitear na Justiça para que seja revista esta safadeza.

Abraços!

Anônimo disse...

Em minha modesta opinião,existem assuntos mais prementes que os da verba P-220.Em geral ganham muito bem, e muito acima da média.Se formos reinvidicar pela minoria então estamos todos lascados, estaremos privilegiando uma minoria em detrimento de uma maioria.Penso que o caso das pensionistas, e dos 360/360 são muito mais urgentes que este.Se formos entrar com todos os dispartes, horas extra, e outras coisas que não entram e por ai vai, não teremos acordo, ou teremos acordo que privilegie uma minoria.Penso que temos que dar ordem as propostas mais abrangentes, como um reajuste de 10% para todos.Acho que o colega que comparou ao nazismo disse bobagem, pq ninguém quer impedir um direito seu, cabe encaminhar o processo a justiça, e temos um nobre cusídico que é o Dr.Medeiros, que pode dar prosseguimento ao processo.Mas em negociações de grande porte devemos pensar no que atinge à todos ou pelo menos à maioria.

Anônimo disse...

Senhores(as),Estamos lidando com mafiosos, larápios, mal-intencionados. Não dá para ficar com sentimentalismo, comparações com o nazismo, preocupações com aqueles que sofreram com a ditadura e assim vai. Precisamos é adotar medidas URGENTES que beneficiem o maior número possível de colegas, antes que eles morram de fome. Não se trata aqui de querer comer caviar ao invés de continuar comendo carne. Temos relatos muito fortes de necessidades que não dá para ficar pensando em melhorar ainda mais a situação de quem já está bem, ou, pelo menos, bem melhor que a grande maioria. Não olhemos só para o nosso umbigo! Qualquer medida precisa ter alcance geral.

Anônimo disse...

Eu não estou nem ai para os P 220. Se o mate tá pouco, meu chimarrão primeiro!!!

Anônimo disse...

Colega das 18:37,

Esse assunto é muito complexo. Concordo que o realinhamento deva beneficiar a todos ou o maior nº possível de colegas, e de preferência, a minoria que ficar fora deve ser, obrigatoriamente quem já recebe muito bem. Não seria bom se a Previ divulgasse os valores médios dos benefícios e quantos recebem uma média de X, quem são, quantas são e quanto recebem, em média, as pensionistas dos pré-97 e as dos pós-97, quanto recebiam antes e quanto receberam a mais e quantos foram os beneficiados do Benefício
Especial de Remuneração
e o de Proporcionalidade, quanto recebem, em média, os P-220, etc...??

Anônimo disse...

Continuação:

O assunto só é complexo porque não temos as estatísticas. Tendo as estatísticas, fica mais fácil avaliar o que é justo e o que é injusto.

Anônimo disse...

Colegas,

Injustiça há em cada 'tribo' que compõe os aposentados da PREVI. Ou não todas as 'tribos' injustiçadas? Temos essa estatística?

Anônimo disse...

Não estou nem aí para quem alega receber pouco. Se ganha pouco é por ter contribuido sobre pouco, por acomodação ou incompetência. Os valores devem ser distribuídos proporcionalmente às contribuições de cada um. O Resto é choro de gente que demonstrou pouca inteligência ao tratar de sua aposentadoria.

Anônimo disse...

Aos 2 anônimos de 7 e 8 de abril (19:06 e 09:37)

Que tal esta prá voces dois:
1) "Não queremos a mixaria do cesta-alimentação, pois vamos ganhar mensalmente o mesmo que os demais do Plano 1 "
2) "Não queremos ganhar igual aos demais, verbas com idênticos valores da pobreza, p. ex. a cesta-alimentação...(que nojo...)
3) (... aguardem outros brocardo )-nojentos!"