VOTEI AGORA NA CHAPA UM

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Votei no terminal do BB.  Barbada. Existe uma chamada inicial para as eleições da Previ. A partir daí tudo é fácil e rápido. A chapa um é a primeira. Está bem em cima. Não tem como errar.


Chapa um, MAIS UNIÃO, tem todos os sinais de que vai ganhar.  Foi e vem sendo torpedeada implacavelmente pelos adversários, que se empenharam na busca das habituais acusações, com que costumam prejudicar os concorrentes.  Esse jogo sujo já é conhecido e não faz  mais efeito a não ser em alguns ingênuos.

Eu votei no terminal porque estava viajando pelo Uruguai de automóvel. Retornei hoje para comparecer a posse do novo superintendente da polícia federal no RS, Alexandre da Silveira Isbarrola, meu conterrâneo, natural de Uruguaiana, de quem sou admirador e amigo.

 Por enquanto o número de votantes aposentados e pensionistas é tímido. Apenas vinte por cento.

Meu palpite é que amanhã esse número suba para trinta por cento. Aí então a chapa um passará a liderar as pesquisas numa eleição, sem dúvida, muito parelha.

O pessoal da ativa , como sempre, na frente. Mais da metade já votou. Acho que amanhã deve andar em sessenta por cento. Esse contingente vota nas chapas 5 e 2.

Tem gente que ainda não atentou bem para a importância desta eleição.  Estão brincando com seus destinos ou fazendo pouco caso de seu futuro. 

Acordem.  A coisa é séria.  

Vamos fazer um esforço final.  Hoje dei uns vinte telefonemas. Pasmem. Apenas um tinha votado. Todos me prometeram votar na um e multiplicar seus votos.  Amanhã vou ligar para as pensionistas. Não vou descansar até o final da votação. Afora as mensagens e e-mails.

Por favor, façam o mesmo. CHapa um na cabeça.

AGORA É COM VOCÊ, VOTE NA UM

sexta-feira, 20 de abril de 2018

O ativista norte americano Martin Luther King falou que o que devia nos preocupar não era o grito dos maus mas o silêncio dos inocentes. Uma frase célebre e constantemente repetida nas redes sociais.


A mim sempre me preocupou o silêncio dos covardes, o silêncio daqueles que, tendo alguma coisa relevante para revelar, se calam, por não terem coragem de enfrentar as consequências ou para não deixarem a zona de conforto.

Como advogado militante assisti muitas situações dessas. Testemunhas de fatos comprometedores sem coragem de depor e revelar a verdade. Inocentes pagaram por isso. Fraudes ou agressões não denunciadas por medo.  Respostas a acusações ou humilhações caladas por covardia.




Não consigo imaginar como essas pessoas que guardam segredos importantes, que poderiam beneficiar a comunidade de que participam, conseguem caminhar de cabeça erguida e dormir de noite. Não sentem remorso, não guardam sentimentos de frustração, não sofrem dores de consciência.  Por acaso o dinheiro aplaca tudo isso ?  O poder vale a pena ? As vantagens adormecem seus princípios?

Faço essa reflexão porque me deparei com um excelente artigo na Zero Hora do médico J. J. Camargo, onde ele escreve sobre o risco de ter opinião, concluindo que sempre que deixamos de dizer o que precisava ser dito, encolhemos. Cita a frase do cartunista argentino Quino: - para onde vão nossos silêncios quando deixamos de dizer o que sentimos ?  Lamenta quando, por medo ou falta de coragem, não somos capazes de dizer o que tinha que ser dito.


Essas considerações me confortam por ter feito a  carta renúncia onde extravasei as inquietudes e revelei alguns fatos que me preocupavam, como por exemplo , as irregularidades do jurídico sem responsabilização e a constituicao irregular do comitê de auditoria, questões que continuam em aberto, sem uma resposta ou justificativa convincentes, e mencionei tudo aquilo que eu achava que tinha que ser dito sobre a falta de transparência na Previ, defeitos na comunicação, falhas na governança corporativa, remuneração variável, ganância do BB  e outros temas.

Os argumentos do dr Camargo , mais uma vez, somado aos apoios que recebi, me convenceram e me deram a convicção de que agi acertado.

O silêncio é atitude de covardia. Não faz o meu gênero. Há riscos, sim, em se manifestar e ter opinião, mas não podia me encolher, tinha que dizer o que foi dito, e isso só foi possível com o ato de renúncia. Eu não fugi, como alguns tentaram me acusar. Ao contrário, eu fui para o enfrentamento, dei a cara ao tapa, saí  da zona de conforto. Por isso,  estou em paz comigo. Não silenciei. Não me acovardei. Ando de cabeça erguida e sou respeitado pelos meus colegas e amigos.

Voto na chapa UM,  MAIS UNIÃO,  coerente com as ideias e princípios que defendi na minha carta renúncia. Eu fiz a minha parte,  agora é com você .

Vote Chapa UM na cabeça.


QUERIDAS PENSIONISTAS, VOTEM NA UM

terça-feira, 17 de abril de 2018

Queridass Pensionistas do Banco do Brasil,


Me dirijo a vocês com muito respeito, admiração e carinho, nesta data em que se inicia a votação para a Previ.

Minha saudosa mãe Geny era pensionista do BB.  Sei bem as dificuldades que ela passou e o orgulho que, mesmo assim, ostentava por fazer parte da família Banco do Brasil.  Para equilibrar as contas no fim do mês com os 60 por cento da pensão que lhe tocou com a morte do meu pai, ela fazia milagres. 

Convivo com muitas outras pensionistas na AFABB RS, que possui em seu quadro social mais de quinhentas , que participam ativamente da associação, inclusive com cargos na diretoria e no conselho deliberativo.
  
Foi lá na AFABB RS que eu iniciei o movimento de reivindicação para que as pensionistas votassem nas eleições da Previ, o que terminou se concretizando e hoje é uma realidade.

O contingente das pensionistas já se constitui numa poderosa força eleitoral. São mais de vinte mil votos. Pode, sim, decidir uma eleição. A diferença entre a chapa vitoriosa e o segundo lugar deve ficar na casa dos cinco mil votos ou menos.

É para esse contingente, para esse grupo de pessoas queridas, para as belas e amadas pensionistas, que eu me dirijo neste instante para pedir o voto para a chapa um, MAIS UNIÃO.. porque essa chapa é a chapa mais afinada com as pensionistas.

Arrisco dizer que a chapa Mais União é, na verdade, a chapa das Pensionistas e dos Aposentados.

Tenho feito campanha aqui no Rio Grande do Sul, e posso afirmar que as pensionistas da Afabb Rs,, em sua grande maioria, quase unanimidade, vão votar na chapa um.  

Todos sabem que sou defensor permanente dos direitos das pensionistas. É possível afirmar que se não foram conquistadas as melhorias reivindicadas em seus proventos  pelas pensionistas durante esses vinte anos foi porque o grupo representado pela chapa dois tem se perpetuado no poder da Previ  e é contrário.

Então é isso. Pensionistas não podem votar na dois. VOTEM NA CHAPA UM, MAIS UNIÃO.

Por um futuro melhor e mais justo, votem na Chapa Um. Divulguem essa mensagem entre as colegas.

Um beijo afetuoso em todas vocês.

Medeiros


BINGO! CHAPA UM TEM CHANCE DE VITÓRIA NA PREVI

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Fiz uma pesquisa prévia sobre as eleições na Previ.  Foi por amostragem e de forma muito incipiente.  Farei uma nova pesquisa logo após o início da votação.


Neste levantamento inicial - sei que vou sofrer retaliações dos prejudicados - apurei que a eleição, que antes parecia parelha, já está polarizada entre duas chapas principais, a dois, da situação, e a um, da Mais União.

A chapa quatro, que tem força eleitoral, apoiada pela AAFBB e pelo grupo da Graça Machado e Denise ( esposa do Valmir Camilo. ), tem recebido muita rejeição em cima das candidatas Cecília Garcez e Célia Laricchia.  É impressionante.  A chapa é o alvo preferido das rejeições. Cecilia por já ter sido duas vezes diretora da Previ, concorre pela terceira vez, bem como por ser conselheira da EMBRAER , uma das empresas mais bem remuneradas. Celia por ter sido conselheira deliberativa da PREVI quando foi extinto o BET. Com isso, suas chances diminuem e sai da ponta da disputa para um terceiro lugar. Para virar o jogo tem que romper essa linha de resistência apostando no desempenho dos seus candidatos nos debates, onde, por sinal, se saem muito bem.

As chapas cinco e três, ao menos entre aposentados e pensionistas, não decolaram. 

Então com esse quadro eleitoral, a briga, no bom sentido, por votos, está centrada nas chapas um e dois.  A chapa dois é a que deve ser derrotada, para impedir o continuísmo. É a do grupo que se perpetua há vinte anos na Previ, votando com o BB e dessa maneira não permite que seja utilizado o voto de minerva, salvo raras exceções, o que comprometeria o patrocinador nas decisões que o favorecem. Quem quiser a derrota da chapa dois vai ter que valorizar o seu voto, dirigindo- o para a chapa que tem mais chance de se contrapor à poderosa Contraf Cut e a FENABB, que tem influencia nos aposentados que frequentam as AABBs. No caso, terá que votar na chapa um, Mais União.

O perigo será se as chapas um e quatro se digladiarem entre si, se atacarem mutuamente, como já começa acontecer nas redes sociais, pois quem se aproveitará disso é a chapa dois.

Previsão de resultado ?  Mero palpite, pois é cedo para uma previsão mais confiável.

Chapa um fará 35.000 votos. Chapa dois 30.000. Chapa quatro 25.000. As outras duas, menos de 20.000, cada uma.

Portanto, o recado é esse. Quer derrotar a chapa dois ?  Vote na um , MAIS UNIÃO, e multiplique seu voto obtendo adesões de aposentados e pensionistas.

COM MAIS UNIÃO CHEGAREMOS LÁ OUTRA VEZ.

CHAPA UM NA CABEÇA!

CHAPA UM NA CABEÇA

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Encerrado o  debate na Afabb RS vou apresentar a minha análise. Sei que é uma tarefa difícil, pois todas as chapas tiveram um bom desempenho e se esforçaram para defender suas propostas, mantendo elevado o nível do debate. Portanto, antes de mais nada, os meus parabéns a todos os que aqui compareceram e participaram prestigiando e valorizando o evento.



A chapa três compareceu com seus dois candidatos a diretores. Conforme eu já tinha antecipado trata se de um grupo de funcionários da ativa do BB que não possui ainda expressão eleitoral.  Procura transmitir a mensagem de solidez, transparência e atitude. Efetivamente não tem condições de vencer pois conta só com o público da ativa como eleitor.

No confronto, no bom sentido, entre a chapa dois e a chapa quatro, defendidas por Sérgio Riede e Cecília Garcez, ambos eloquentes, na minha opinião venceu a Cecília, que foi mais positiva e mais objetiva, demonstrando com firmeza suas realizações na diretoria de administração e argumentando com dados precisos suas ideias e conhecimento da Previ.

Já no embate, no bom sentido igualmente, entre as chapas um e cinco, defendidas pelos candidatos a diretores de ambas as chapas, no meu ponto de vista,  foi superior a chapa um de Arnaldo Vollet e Italo Lazarotto Júnior, que apresentaram uma bandeira mais coerente e consistente, de gestão austera e independente, do lado do participante, enquanto a cinco procurava explicar sua proposta fundamentada em cinco vértices, que não foi suficientemente bem assimilada, de que o futuro se constrói agora.

Alguns detalhes do debate chamaram atenção. Houve insinuação de que algumas propostas ou restrições apresentadas eram inócuas e davam a impressão de despreparo das chapas, como a questão do carro com motorista, que foi extinto em outubro de 2017; ou dos cartões corporativos, que foi extinto em 2016, além de objeção ao pagamento de remuneração variável.  Na verdade o que existe é falha na comunicação da Previ que omite essas informações e o que precisa ser defendido pelas chapas é mais transparência. Até hoje, por exemplo, a Previ não noticiou a minha renúncia.

Outra unanimidade é a questão de conselheiros de empresas. Quase todos admitiram que diretor da Previ não deve participar de conselhos de empresas participadas. Na minha opinião nem em casos estratégicos.  O negócio da Previ é administrar planos de aposentadoria, não é administrar empresas de mineração, nem de energia, nem de fabricacao de aviões, nem hotéis como o Finado Sauípe.

Isto posto e face às minhas considerações anteriores onde expliquei os meus motivos pelos quais não tenho condições de apoiar a chapa quatro, a minha decisão é a favor da chapa um, Mais União.

Acho, porém, que a disputa vai ser braba e bem parelha. A chapa dois tem um público cativo de trinta mil eleitores. Quem quiser ganhar tem que ultrapassar trinta mil votos. Há divisão de forças entre a chapa um e a quatro nos aposentados e divisão de forças entre as chapas um, quatro e cinco no pessoal da ativa.

De novo eu acho que só uma bandeira pode, a exemplo da Cassi, tornar vitoriosa a eleição, a bandeira da mudança, mudança com independência do BB e a favor dos participantes, mudança com competência. Mas mudança. Porque as chapas dois, principalmente, a quatro e a cinco possuem em sua composição pessoas que trabalham ou trabalharam na Previ. É, portanto, continuísmo. A chapa um traz sangue novo e quer uma Previ mais transparente e mais voltada para os participantes. Se defender essa bandeira de mudança e mostrar humildade aperfeiçoando seu programa, a chapa um terá condições de ser vencedora.

Eu vou cravar na cabeça. Chapa UM, MAIS UNIÃO.

VAMOS QUE VAMOS !

. NÃO PERCA O DEBATE DE HOJE NA AFABB RS

quinta-feira, 5 de abril de 2018

O DEBATE DE HOJE, segunda feira, às 14,00 horas, das chapas que concorrem para a Previ, promete.


Com certeza vai ser um debate importante e decisivo. A chapa que mais se destacar pode iniciar ali seu caminho para a vitória. Os debates que se sucederem serão mera consequência. Dificilmente terão tempo suficiente para alterar a impressão inicial.

O debate na Afabb RS tem todas as cinco chapas confirmadas, que serão representadas por suas lideranças mais significativas.

A chapa três, a menos conhecida, a qual eu me referi em meu post anterior como não tendo expressão eleitoral, vai , conforme comentário de seu candidato a diretor de administração, tentar mostrar porque é uma alternativa diferenciada e necessária. Vou ouvi lo com atenção redobrada.

As chapas um e cinco comparecerão com seus dois candidatos a diretor, força máxima. A chapa quatro com a experiente Cecília Garcez e a chapa dois, a da situação, com o não menos experiente Sérgio Riede.

Portanto, será um belo e empolgante debate.. os temas serão aqueles que mais preocupam os participantes. Por exemplo, teto de benefícios, remuneração variável, investimentos sustentáveis, empréstimo simples, BET, CAPEC, transparência, conselhos de empresas, renda variável versus renda fixa, responsabilização de gestores, relação com o patrocinador, etc. a Afabb RS vai eleger três temas principais. Perguntas poderão ser feitas, no auditório e pela internet. A transmissão pela internet será, como a anterior, de alta qualidade.

Em varios comentários de infiltrados haviam considerações de que o debate da Afabb RS seria esvaziado, não contaria com a presença de todas as chapas, pois outros debates mais relevantes iriam ocorrer posteriormente. Isso não aconteceu.  As chapas perceberam a importância desse lance inicial, que, quem sabe, como aconteceu na Cassi, pode ser decisivo para a eleição. 

Então, a diretoria da Afabb Rs, em comemoração aos trinta anos da associação, está fazendo a sua parte. Agora você tem que fazer a sua. Compareça. Pessoalmente ou pela internet. Tire suas próprias conclusões ou aguarde minha análise. Mas participe. Seu futuro está em jogo.

Vamos que vamos.

DEBATE DAS CHAPAS PARA A PREVI NA AFABB RS PODERÁ SER DECISIVO. NÃO PERCA !

segunda-feira, 2 de abril de 2018

O debate na AFABB RS é o primeiro a ser realizado. Será na segunda feira, dia 9, ás 14,00 horas e reunirá representantes das cinco chapas, que já confirmaram presença. É um esforço que a AFABB RS está fazendo, a exemplo do que aconteceu na eleição da CASSI, para comemorar os trinta anos de sua profícua existência.


Varias pessoas, inclusive eu, e  entidades, aguardam o debate para esclarecer dúvidas, ouvir as propostas, avaliar desempenhos, para decidirem que chapa votar.

No meu caso estou indeciso entre a chapa um e a cinco. Tenho varios questionamentos e darei a minha   orientação de voto logo após o debate. Sei de minha responsabilidade pois inúmeros colegas seguem a minha sugestão. 

No caso da Previ a eleição é mais complicada do que na CASSI.  Existem quatro chapas em condições de disputar a vitória. Só a três está fora. Não tem expressao eleitoral.

A chapa a ser vencida é a da Contraf Cut e da FENABB, que vem se mantendo no poder desde o ano 2002, quando Lula pela primeira vez foi eleito presidente do Brasil, e levou junto para o Governo, na área previdenciária,  o Gushiken, o Berzoini, o Pizzolatto, o Wagner Pinheiro, o Sérgio Rosa, e o Vaccari.

Pena que as demais não se uniram. Aí era barbada.

Na Cassi eu indiquei a chapa vencedora, logo após o debate.

Será que terei o mesmo vislumbre na Previ ?

Vai ser um debate quente, empolgante, os representantes das chapas vão dar o seu máximo.

Compareça ou assista a transmissão pela internet.  É o seu futuro que está em jogo. Dia 9, as 14,00 horas, no auditório da Afabb RS.

Vamos que vamos.

PÁSCOA FELIZ, ELEIÇÕES DA PREVI A VISTA

sábado, 31 de março de 2018

Amanhã é domingo de Páscoa.  É uma data significativa. Traz no seu bojo uma mensagem de esperança, de renascimento, de recuperação. Ultimamente o comércio tem desvirtuado esse significado, procurando associar a data ao Coelho e aos ovos de chocolate. Não importa.  O espírito cristão da data prevalece.


Para os que votaram na chapa quatro, MAIS UNIÃO, na eleição da Cassi, e foram vitoriosos por uma diferença de seis mil votos, certamente será uma Páscoa feliz, pois com a vitória veio a esperança de melhoria na Cassi e de recuperação nos rumos. Eu estou feliz .

O domingo de Páscoa traz  também um marco importante para nós do BB. A partir daí temos que começar a pensar na eleição da Previ, que se avizinha. São cinco chapas disputando. É uma eleição mais complicada e difícil do que a da Cassi, que tinha apenas quatro chapas, sendo que duas sabidamente sem nenhuma possibilidade de êxito. Restaram as outras duas. Fácil a escolha entre situação e oposição. Deu oposição, deu mudanças.

A análise da eleição da Previ não é tão simples. A chapa da situação, a ser derrotada para tentar propiciar mudanças benéficas na gestão e resistir ao BB, é a chapa dois, Previ para associados,, do Riede, do Márcio, da Paula Goto, do Haroldo Vieira, do Tremarin, figuras conhecidas e tarimbadas. Cuja tendência já se sabe. Restam quatro chapas. Qual delas tem mais condições de vencer ?  De enfrentar a poderosa chapa da Contraf Cut  e da FENABB ?  Qual apresenta as melhores propostas ? Qual tem a melhor bandeira de enfrentamento à ganância do patrocinador ?

Me parece que a chapa três, formada por gente da direção geral do BB, e a chapa quatro, da AAFBB , da Cecília e da Célia, não possuem condições de conquistar expressiva votação. A primeira é desconhecida e a segunda já mostrou na eleição da Cassi que a AaFBB não tem força eleitoral pois possui apenas 25 000 sócios, nem a bandeira necessária de mudanças, pois a Célia já foi conselheira deliberativa da Previ, ocasião em que foi extinto o BET.

Sobram a chapa um, do grupo Mais União e MSU, vitorioso na eleição da Cassi, que está empolgado,  mas tem um candidato a diretor questionável pelos cargos que ocupa, e a chapa cinco, do grupo que foi vitorioso na eleição para diretor de planejamento, dando vitória ao Zeca, uma pessoa que eu tive oportunidade de comprovar seu trabalho sério na Previ até que foi vitimado por um enfarto violento que o impediu de continuar. Essa tem, sim, força eleitoral.

Eu estou em dúvida sobre qual delas vou apoiar. Vou aguardar o debate do dia 9 na Afabb Rs e verificar o desempenho dos candidatos e esclarecer algumas questões. Dia seguinte me manifesto.

Nesta Páscoa também temos a reflexão sobre o que está acontecendo no país e qual o panorama  das eleições de outubro. Faltam apenas seis meses. Uma confusão danada.

Por último resta rezar que a estação espacial chinesa em queda livre no espaço, calculada para cair amanhã, não caia em cima de nossas cabeças.

Uma FELIZ PÁSCOA PARA TODAS E TODOS, um renascer promissor e muitos ovos de chocolate que o coelhinho deposite nos ninhos de vocês. Vamos celebrar a vida.

Vamos que vamos.
.

CHAPA QUATRO VENCE ELEIÇÃO DACASSI

quarta-feira, 28 de março de 2018

Conforme eu havia antecipado, a chapa quatro, MAIS UNIÃO,  do  Soturo e do Faraco, que teve o meu voto e o meu apoio, venceu a votação da CASSI, com 36.900 votos, arredondados.


Em segundo lugar ficou a chapa um, do atual diretor e do Amaral,, com cerca de 30.600. Era a favorita, mas não resistiu.

Em terceiro lugar veio a chapa três, da AAFBB, com cerca de apenas 16.600 votos. Foi uma inscrição lamentável.  Tirou votos da chapa 4. Foi uma decepção.

Em último a chapa dois, da oposição bancária, com 11.000 mil votos. Entrou só para  dar o seu discurso e fazer política.

Cumprimento efusivamente os eleitos. Fizeram uma campanha excelente, mesmo sofrendo campanha difamatória e baixarias. E sem ter os recursos dos telefonemas e e-mails que a chapa três utilizou. Só eu recebi três telefonemas da AAFBB para votar na chapa três.

Fiz campanha de apoio pela chapa quatro de muita intensidade não só no blog, como pode ser visto naspostagens. Mas também usei os meus Contatos em todo o país. Trabalhei muito no watsapp, no LinkedIn e no Facebook, que hoje tem muito penetração. Acredito muito no Sérgio Faraco. Tem grande conhecimento técnico e principalmente, no meu entendimento, tem a bravura e o discernimento que pode fazer a diferença na CASSI a favor dos associados.

Estou, então, particularmente, muito feliz com o resultado do pleito. Em especial com a votação dos aposentados que participaram mais ativamente do pleito, mesmo tendo que votar nos terminais. Liguei pessoalmente para cerca de duzentos colegas pedindo para multiplicar o voto e insistir com os aposentados pelo comparecimento no pleito. Os aposentados deram a vitória para a chapa quatro. Mostraram a sua força eleitoral. E também  qual a sua inclinação. 

Parabéns chapa Quatro, MAIS UNIÃO.

Agora é trabalhar.

Vamos que vamos. Avante !


ESPETÁCULO INFAME

domingo, 25 de março de 2018

O espetáculo do julgamento do habeas de Lula dado pelo STF foi infame.


Os ministros, todos, inclusive a presidente , se comportaram de forma vergonhosa.

Argumentação infame. Fundamentação infame. Justificativas infame. Piadas infame. Decisões infame.

Dessa forma, perderam a credibilidade e lançaram o Judiciário na lama.

O que se viu não foi um julgamento, mas uma palhaçada. Cada um querendo tirar o seu da estaca.  Cada um querendo defender os interesses seus e de seus aliados.

Mostraram entre outras barbaridades, que não querem trabalhar.  Dois alegaram compromissos de pouca  ou quase nenhuma importância que os impediam de prosseguir na sessão noite a dentro. Um, talvez o mais moço, falou que não teriam condições físicas para suportar uma sessão noturna. Incrível.

Também ficou evidente a gazeta na semana santa. Por que ?  Vão folgar ? Vergonha.

A falta de respeito com a sociedade brasileira merece uma resposta.  Irresponsabilidade de tal tamanho teria que ter punição.

Impeachment nos ministros ?  Ou quem sabe até detenção por descumprimento de seus deveres básicos como julgadores ? Ou detenção cautelar para não cometerem desatinos ?

No dia 4 de abril o Tribunal  terá dez ministros. Gilmar Mendes estará no exterior. Em caso de empate, cinco a cinco, o réu será beneficiado. O circo, pois, está montado. Esse STF não tem mais condições de continuar. Ele não nos representa.

A OAB nacional tem que agir.

Outro espetáculo infame o Brasil não merece e será catastrófico.

É o que eu acho. Desculpem a indignação e a veemência. É que chegamos no limite !

Aproveitei o dia de chuva para postar.

REFLEXÕES DA SEMANA SANTA

quinta-feira, 22 de março de 2018

Está se aproximando a semana santa. Trata se de uma semana emblemática. No Uruguai se comemora a semana do turismo. Os uruguaios tiram toda a semana para viajar.


Eu nasci em Uruguaiana  e vivi na fronteira até meus trinta e cinco anos. Fronteira com a Argentina e o Uruguai. Tenho alguns costumes herdados nessa região pampeana. Um deles é o de viajar na semana santa para descansar e para refletir. 

Durante varios anos eu passei a semana santa no próprio Uruguai, em Punta De Leste , onde sempre me reenergizei, pois considero a península um dos polos mais energéticos do mundo. Sou um apaixonado por esoterismo, tendo tido cursos de parapsicologia com o Padre Quevedo.

Este ano estava em dúvida, mas terminei optando por outro destino, tendo em vista a oferta de um pacote promocional muito vantajoso, com o único senão de que não é reembolsável nem pode haver transferência . Tirei com muita antecedência e agora surgiram eventos na segunda e na terça feira, 26 e 27, os quais gostaria de estar presente. Mas fazer o que ?  

Como disse eu utilizo parte do tempo dessa semana para meditar e refletir. Sempre volto dessa viagem cheio de ideias e de planos. A cabeça desanuviada pela meditação favorece o raciocínio. Em Punta tinha um local preferido junto ao mar, em cima de uma pedra. Sou fixado em pedras. Acredito no poder delas, inclusive curativo.

Dessa forma, nesse período o blog poderá ter suas postagens reduzidas ou entrar em pequeno recesso. Poderá, não sei. 

A votação para a Cassi continua. A chapa quatro segue sendo atacada pelas outras, injustamente. Talvez por ser a única que não tem nada a ver com o mega prejuízo.  Eu acabo de receber telefonema da Aafbb pedindo votos para a chapa três e meu email está cheio de mensagens pedindo votos para a chapa um. Para a quatro só tenho recebido mensagens do MSU e do Sérgio Faraco. Desproporcional.

Para a Previ, a Afabb Rs depois do sucesso do debate para a Cassi, está tentando organizar um debate no dia 9 de abril. Está um pouco difícil o contato, mas estamos nos esforçando.

No restante, reina confusão em torno da prisão ou não do Lula. Que coisa !

Vamos que vamos !

FAKE NEWS, QUE MENTIRA FOI ESSA ?

terça-feira, 20 de março de 2018

As mentiras passaram a empestar as redes sociais e também a mídia.  Uma mentira repetida passa a ser verdade, ensinam os maliciosos. As fake news estão na ordem do dia.


Na campanha eleitoral da Cassi as baixarias surgiram.  A chapa quatro foi a mais visada. Talvez por ser a única com chances de enfrentar chapa um.

Uma das notícias dava conta que a chapa quatro  ia terminar com a solidariedade, outra que a chapa quatro era composta de pessoas velhas demais, outra de que eram ex executivos do BB e que fariam o jogo do patrocinador, ou até quem sabe afastariam o patrocinador,  etc, etc..

As fake news circulam rápido e sempre vem com jeito de verdade.  Até serem contestadas ou questionadas já fizeram estrago considerável no alvo.


Por ocasião da minha renúncia circulou que eu estava saindo porque estava velho e por covarde, pois estava atemorizado com a operação Greenfield.  Tive que postar mostrando que era idoso mas estava longe de ser velho. E que meu ato não tinha nada de covardia, muito pelo contrário era uma atitude corajosa, até porque inédita.

Algumas notícias são venenosas.  Buscam manchar a reputação das pessoas.  Dizem que não comparecem ao serviço, que são displicentes, que não solucionam os problemas.

Outras pretendem divulgar conceitos básicos falsos ou distorcidos. Atingem a essência. Por exemplo, voto de minerva nunca foi utilizado. A gestão é compartilhada igualmente.  O patrocinador não manda na gestão. O problema da CASSI é de gestão, mas o BB não tem nada com isso. Prejuízo ? Que prejuízo ? E´ conjuntural. O prejuízo da CASSI o BB cobriu com 320 milhões. A governança corporativa é tudo.

É preciso muito cuidado com as fake news. Olhem o que aconteceu no Facebook nos EEUU, nas eleições presidenciais.


Eu hoje sou um cético, questiono tudo, quero provas.  Lancei uma camiseta que está fazendo sucesso.

QUE MENTIRA FOI ESSA?

Vote na chapa quatro, MAIS UNIÃO. a única cujos membros não participam da atual gestão deficitária da CASSI !

TRINTA ANOS DA AFABB RS, TIM TIM !

segunda-feira, 19 de março de 2018

Tem gente que vai olhar o título da postagem e desdenhar o assunto.  Isso não me interessa. É comemoração.  Está fora do meu contexto. Quero temas que afetem diretamente o meu bolso, que é o órgão mais sensível do corpo. Quero saber sobre  as eleições para a Cassi, chapa quatro, medicamentos, cirurgias, BET, ES, ações judiciais, etc, etc. nada quero  saber sobre festas, historinhas, notícias de colegas, viagens.


Respeito e até compreendo as preferências de cada um, pois é cada um que sabe onde aperta o sapato.    Mas eu sou de gêmeos, um signo abrangente, e para mim todo assunto é relevante, pois a vida é feita de um conjunto, multiforme, de alegrias e tristezas, e não de fatos isolados, específicos, mesmo que funcionais.


E o blog do Medeiros sempre foi assim, abordou tudo, com a mesma intensidade, quer gostem ou não. Sei que sempre que toco nesses assuntos cai um pouco a visualização e os comentários, mas fazer o quê ? É a vida. É bonita, é bonita e é bonita, como canta Gonzaguinha.


                                               Manifestação da AFABB RS


Então, permitam, vou escrever sobre os trinta anos da Afabb RS, que hoje, 18 de março, comemoramos.  Trinta anos de lutas pelos aposentados e pensionistas, trinta anos de bons serviços prestados à causa da defesa dos direitos do funcionalismo do BB, trinta anos de solidariedade e de fraternidade entre colegas


Eu participei ativamente desses trinta anos. Ingressei na AFABB Rs em 1990 e em 1992 já participava da diretoria, tendo sido Presidente varias vezes. Posso contar a história da entidade e de seus principais dirigentes. Está gravada na minha retina e na minha memória. Muitos eventos expressivos. Muitas vitórias. Muita, mas muita emoção.


  1.        Caty  Simone                                                                  Dr. Jorge K. de Mello                                                                                                                            
Hoje vou me concentrar apenas a homenagear duas pessoas que acompanharam a Afabb Rs desde os seus primórdios. O atual presidente do CD, dr. Jorge Krieger de Mello, um dos poucos fundadores vivo, e a gerente Caty Simone Sabóia, que veio trabalhar na Afabb Rs em 1992. São dois esteios da nossa associação, O dr. Krieger , atualmente com 85 anos, sempre conduziu o conselho de maneira firme e eficiente, fazendo a Afabb  Rs  trilhar um caminho seguro, INDEPENDENTE  e de sucesso.  Ele nunca se entrega e no momento está concluindo um livro com o título "Cada julgamento uma sentença",  que foi prefaciado pelo presidente da OAB nacional , dr. Claudio Lamacchia, nosso colega. Vai lançar em agosto.

A doce e bonita Caty Simone é a mascote da Afabb RS.  Ingressou para cuidar do primeiro computador da Afabb Rs, tão precioso que era guardado numa sala gradeada.  Atende a todos com gentileza e educação. É muito estimada pelos associados, diretoria e colegas de trabalho. Faz parte dos móveis e utensílios. Impossível imaginar a Afabb Rs sem a Caty. Aliás todas as funcionárias merecem ser homenageadas hoje. São elas que , na realidade, fazem a Afabb Rs funcionar.

Concluindo, quero dizer que eu sinto aqui na Afabb Rs que existe um espírito  que circula por essas paredes. Uma espírito bom, do bem. Sinto a presença nítida e cotidiana do Cáceres, emérito orador, do Duren, do Mario Juarez, na foto ao lado, do Eli Figueiras, da Carmen Volino, da Regina Rohden, da Regina Madeiro,  do Adolfo Kramer, do Aldo Ibanos, e tantos outros que se foram. Eles estão aqui presentes nos acompanhando e nos inspirando. Merecem que nos lembremos deles e façamos uma oração em sua memória, nesta data especial, pois a associação muito deve à atuação de todos .

O tempo passa rápido. Trinta anos se foram. Vamos brindar. À AFABB RS , tim tim !

E vamos que vamos !

A VOTAÇÃO DA CASSI INICIA HOJE, CHAPA QUATRO TEM CHANCES

sexta-feira, 16 de março de 2018

Hoje inicia a votação para a CASSI.  Os aposentados votam nos terminais de atendimento do BB. Vote na chapa quatro, MAIS UNIÃO.  

O pessoal da ativa hoje vota maciçamente. Os aposentados aos poucos vão votando. O percentual de comparecimento dos aposentados sempre deixa a desejar. Aqui no RS conseguimos chegar a 40%, índice histórico. Mas o correto seria no mínimo de 70%.  Sei das dificuldades, mas também sei que há muito comodismo.

Eu vou votar hoje. Cumprir o quanto antes o meu dever. Voto na chapa quatro, mais união.

Me pedem para analisar o pleito e avaliar quem poderá ganhar, qual a chapa vencedora.

Acho que a vitória vai ser decidida entre a chapa quatro e a chapa um. São as duas com mais possibilidades de êxito. Tanto assim que a chapa quatro começa a ser perseguida com ataques mentirosos, procurando desqualificar os objetivos e os interesses de seus componentes. Sinal de que está incomodando a chapa da situação, que é a chapa um, do atual diretor Willians.

A chapa um tem mais penetração no pessoal da ativa e a chapa quatro mais simpatia por parte dos aposentados. Ambas tem chances.

As outras duas chapas, a dois e a três, me parece que não possuem nenhuma possibilidade de vitória. A chapa dois é defendida pela ala sindical denominada Oposição Bancária e pelo PSTU, que historicamente possui um numero limitado de votantes, por causa de sua radicalidade.

A chapa três está fortemente apoiada pela AAFBB, que tem escritórios de representação em todos os Estados e mais em algumas cidades, cujos representantes estão empenhados na coleta de votos. Mas o alcance é limitado, restrito aos aposentados, a entidade possui cerca de trinta mil sócios apenas.

Tanto a candidata a diretora da chapa dois, Karen, como o candidato a diretor da chapa três, Claudio, não conseguiram despontar nos debates, uma por causa do seu discurso político, o outro por causa de sua pouca vivência nesses debates e por ser excessivamente técnico. Faltou carisma a ambos.

Assim, no meu ponto de vista, polarizada a eleição entre apenas duas chapas, a um e a quatro, situação contra oposição, dependência contra independência, continuísmo contra mudanças, seria o caso de aposentados que ainda estivessem em dúvidas, entre a 3 e a quatro, ente a 2 e a 4, se decidirem pela chapa quatro. O chamado voto útil.  Pois o que se viu nos debates é que, na realidade, o certo para derrotar a chapa um seria a união das outras três chapas.

E´ o que eu penso.  Mais na frente vou verificar como é que andam as votações e poderei dar a minha opinião definitiva.

DIDA AMEAÇA CONTAR TUDO !

quarta-feira, 14 de março de 2018

Lauro Jardim, consagrado jornalista, que acompanho desde o tempo da Veja, revelou que Bendine, o Dida,  teria ameaçado revelar o esquema de propina existente dentro do Banco do |Brasil, um esquema tão grande que as prisões existentes não conseguiriam abrigar aos envolvidos.  Seria um esquema que cobraria 1 a 2% para liberar financiamentos grandes a grandes empresas. Teria dito que esse esquema já existiria antes dele assumir a presidência do banco.  Seu período foi de 2009 a 2015. Que coisa ! 

O episódio que gerou a prisão de Bendine, 11 anos de detenção, foi uma propina de três milhões recebida da Odebrech quando estava na presidência da Petrobrás.  Marcelo Odebrech conta que Bendine já teria pleiteado receber 23 milhões quando era presidente do BB para liberar um empréstimo de 2,3 bilhões, mas conseguiu se livrar do achaque. Assim o pedido dos três milhões seria uma represália do Bendine, uma espécie de vingança. Que coisa !


Bendine foi cinco anos presidente do BB. Um período bastante extenso. Muita coisa aconteceu no banco nesse período. A remuneração variável, os bônus, o teto dos benefícios, a nova estruturação funcional. A compra do banco Votorantim, do banco da Patagônia, da Nossa Caixa. O lançamento bilionário, 11 bilhões, da Brasil Seguridade, um sucesso estrondoso na época, que inclusive também serviu para promover o atual presidente Cafarelli. Apesar dos falatórios sobre favorecimento a uma socialite, na foto,  dinheiro guardado no colchão, pagamento com dinheiro vivo feito através de motorista, Bendine conseguiu fazer seu sucessor, Alexandre Abreu, que conheci no CD da Previ,por sua vez  padrinho do atual presidente da Previ, que escolheu para o cargo. Ninguém apostaria que o Bendine seria preso e condenado a 11 anos de prisão. Que coisa !

Para se livrar da prisão só resta ao Dida o recurso da delação premiada, contar coisas, denunciar falcatruas. Ele diz que tem muito para contar. Há quem diga que isso foi só para chamar atenção. Uma espécie de lembrete. Me ajudem senão eu denuncio vocês. Que coisa !

Só uma vez na vida me deparei pessoalmente com o Dida. Foi no aeroporto Santos Dumont, no Rio. Foi em 2016. Eu aguardava o chamado para o meu voo de volta a Porto Alegre, sentado, quando vi o Dida vindo na minha direção, olhando fixo e severamente para mim. Pensei comigo, ele vem com jeito de que vai me peitar. E veio, e veio, e veio. Quando chegou pertinho, desviou e seguiu adiante. Respirei aliviado. Ufa ! Mas foi por pouco tempo. Senti uma mão no meu ombro e me virei. Era o Dida. Meu Deus. Tu és o Medeiros, falou. Sou, respondi. O do blog, não é ? Precisamos conversar. Hoje estou apressado. Tenho compromisso urgente em São Paulo. Na próxima tua vinda ao Rio vamos marcar uma reunião na Petrobrás. Precisamos falar. E se foi, elegantemente vestido, fatiota impecável, tecido esplêndido, colarinho alvo, gravata de seda, dourada, perfume cítrico, cabelo bem penteado. Bonitão. Chamava atenção.  Aí me lembrei que tinha feito uma postagem dura contra ele. Pensei, mostraram para o homem e ele não gostou. Puxa vida ! O encontro nunca saiu. Ele jamais me chamou. Graças a Deus.  Que coisa !

Só me resta acompanhar curioso e até ansioso o desdobramento do caso. Será que o Dida vai contar tudo o que acontecia no Banco do Brasil ? Será mesmo ?  Vai abrir a caixa preta ? Será ?  Ou vai amargar a prisão ?  Ou , quem sabe,  vai sofrer mais uma ação judicial , de difamação e calúnia, de seus antigos e atualmente temerosos colegas de diretoria ?  Temerosos no bom sentido.

Que coisa !

CASSI: CHAPA QUATRO , MAIS UNIÃO

segunda-feira, 12 de março de 2018

Encerrado o debate na AFABB RS minha decisão é de que vou votar na chapa quatro MAIS UNIÃO.


Aliás a maioria dos que participaram via internet do debate foram da mesma opinião. CHAPA QUATRO.  Foi a que apresentou propostas mais concretas e demonstrou maior preparo para o enfrentamento dos problemas da Cassi.

Eu já tinha uma inclinação natural para a chapa. Sou simpático ao movimento semente de união. Além disso sou antigo admirador do Faraco, que disputa o cargo de conselheiro deliberativo. 

Por outro lado, pelo critério de exclusão, a chapa 1 foi por mim descartada de cara. Inconcebível apoiar a reeleição de um diretor que participou da gestão da Cassi nesse período terrível de prejuízo acumulado e de déficit, que levou a entidade ser ameaçada de intervenção da ANS.  O que lhe credencia para pleitear a reeleição?  No meu ponto de vista , nada.

A chapa 2 também está prejudicada porque a candidata a diretora é atualmente conselheira deliberativa da Cassi.  O que fez como conselheira que justifique a sua candidatura à diretora ? Só votar contra nas decisões do conselho para mim não é suficiente. Fundamentou seu voto com propriedade ?  Mostrou equívocos nas decisões?  A oposição é necessária, mas tem que ser eficiente, tem que ter consistência. Foi transparente ?

A chapa 3 igualmente ficou contaminada pois o candidato a diretor é gerente da Cassi desde 2016. A chapa é fortemente apoiada pela AAFBB, com dois representantes na chapa. E a AAFBB é presidida por Loreni Senger que é atualmente conselheira deliberativa da Cassi. Vai ter que se explicar porque a representante da chapa dois falou no debate que a Karen era a única conselheira a votar contra o BB e que era deplorável que outros eleitos votassem com o banco. Além do que a AAFBB foi a única entidade que não se manifestou sobre a minha renúncia na Previ, embora eu seja associado dela. Não achei legal. Essa chapa , por isso, foi igualmente descartada de cara.

Então o que se comprova é de que a única chapa que se propõe a trazer um vento renovador para a Cassi é a chapa quatro.  Todas as outras três possuem pessoas comprometidas com a atual gestão, que tem se revelado desastrosa e comprometedora, chegando a ameaçar a própria sobrevivência da Cassi.

Se queremos salvar a Cassi é preciso cortar os laços com tudo que vem dando errado. É preciso mudar. É preciso renovar.

Voto na chapa quatro, MAIS UNIÃO. pois a UNIÃO FAZ A FORÇA !

VAMOS QUE VAMOS ! 

DEBATE CASSI, ÚLTIMA CHAMADA

quinta-feira, 8 de março de 2018


Hoje é o dia delas. Sem elas o mundo não teria graça. A mulher é nossa fonte de inspiração, nossa força nas horas difíceis, nosso conforto nos momentos de alegria. Parabéns. Sou fã é admirador incondicional da mulher. A homenagem do blog para a aposentada e para a pensionista, ambas são merecedoras, bem como para as funcionárias da Afabb RS.


Esta é a última chamada. O debate das chapas concorrentes para a Cassi na AFABB RS é nasegunda feira, dia 12, às quatorze horas.

Venha assistir em nosso auditório e participar do debate.

Ou assista pela sua internet através do link abaixo.

https://www.facebook.com/afabbgaucha/vídeos.

Agora tem um fato concreto que comprova o desinteresse do BB com a Cassi. Um fato inequívoco.

No edital de convocação para concurso público referente à admissão de oitenta novos escriturários nada consta sobre a Cassi, ou seja o BB não oferece aos novos funcionários a Cassi como um benefício.

Isso diz tudo. A Cassi já era para o BB.

Então é preciso avaliar as chapas concorrentes. Além de sua capacidade técnica qual o grau de submissão ao BB.

Não perca esse debate. A AFABB RS se esforçou em proporciona lo, como parte da comemoração dos seus trinta anos.

A Cassi é importante para nós.

Precisamos de você.

Última chamada. Não perca !

Vamos que vamos !

TEMPESTADE A VISTA

quarta-feira, 7 de março de 2018

Os entendidos em tempo estão advertindo com alerta laranja.  No horizonte do Brasil estão se formando nuvens negras .  Existe o risco de tempestades.


Vejam alguns sinais.  O sigilo bancário de Temer foi quebrado. Indignação no Planalto. Lula está próximo da Prisão e é o líder na pesquisa de voto. Indignação no PT e no Movimento Sem Terra. A polícia federal revela que o frango não é saudável, mas contaminado com salmonela. Indignação nos consumidores.  Meirelles vai deixar o Ministério da Fazenda para concorrer. Confusão na economia. Temer quer nomear um civil para o Ministério da Defesa. Insatisfação nas forças armadas. Intervenção militar no Rio. Insatisfação nos políticos e nos traficantes.

É o samba do crioulo doido de volta ao país.  Turbulência demais. É nesse cenário que o juro ainda pode cair mais. A caderneta de poupança vai render menos. A bolsa oscila e perde otimismo.

E nós simples mortais, meros aposentados e pensionistas, como é que ficamos? 


Nosso Porto Seguro que sempre foi o Banco do Brasil também sofre com a investida de águas revoltas. A declaração de Mailson da Nóbrega e de Gustavo Franco de que o banco está pronto para ser privatizado mexeu com o mercado e nos deixou com a pulga atrás da orelha.  O mestre Aristophanes escreveu interessante post a respeito que está publicado no blog do Ari Zanella. Leiam. Vale a pena.

Fica evidente os motivos que levam o BB desejar se descartar da Cassi, ao menos com relação aos aposentados. Vai aumentar seu lucro e se livrar de um penduricalho caro.

Essa circunstância aumenta a importância da eleição para a Cassi deste ano.

Mas parece que a comunidade BB está alienada, acomodada, calma, sem se apavorar nem sequer se incomodar com as nuvens negras prenunciadoras de tempestade. Não existe preocupação, não existe medo. O clima é até de festa. Daqui há poucos dias vai se realizar o CINFAABB  em Salvador. São esperados cerca de cinco mil participantes que vão disputar os jogos e se divertir. O samba e o ritmo baiano vão rolar.

Eu não condeno a festividade. Adoro. O que me deixa atônito é a indiferença e o comodismo com o que está se passando na nossa frente. Na realidade, um pesadelo.

Vamos acordar, gente. As eleições estão na nossa porta. Vamos demonstrar nossa indignação e nossa força ?

Vamos que vamos !



E AGORA JOSÉ ? ELEIÇÕES PREVI

segunda-feira, 5 de março de 2018

Sairam as chapas para a eleição da Previ e me inundaram de perguntas a respeito de qual chapa eu vou apoiar e votar.  Incrível, foram mais de uma centena de e-mails e varios telefonemas. Querem seguir minha orientação.  Baita responsabilidade. Uma prova de que ainda tenho influência, de que não estou velho.


Eram quatro chapas inscritas. Depois a Previ retificou e disse que existia mais uma , que o sistema anti spam havia vetado indevidamente. Então, tá !  São, portanto, cinco chapas concorrentes.

O ideal para nós, da oposição, era que existissem três chapas. Uma da situação, capitaneada pela Contraf Cut, e outras duas de oposição, que, inclusive, pudessem se unir durante a campanha, se necessário. Mas, mais uma vez, o sonho de união não se concretizou.

A AFABB RS vai fazer a mesma coisa que está fazendo com relação a CASSI , isto é, vai realizar um debate entre representantes das cinco chapas. A chapa vitoriosa do debate será a escolhida. Aquela que demonstrar ser a mais apta.

Mas no meu caso existem naturais peculiaridades. Todos irão compreender que não posso me alinhar com uma chapa que não divulgou nem me apoiou no episódio da renúncia. Se a entidade que patrocina a chapa demonstrou, com sua omissão, pouco apreço pela minha atitude ou por mim, não tem sentido eu demonstrar apreço pela chapa que apoia. Seria um contra-senso e eu tenho dito que, apesar de idoso, ainda conservo a lucidez. Aliás por causa da indiferença com a minha renúncia, estou me desligando do quadro de associado de uma entidade nacional. Lamento pois sou sócio dela há muitos anos.

Aplicando o raciocínio acima, duas chapas ficam desde já prejudicadas, restando três para eu fazer minha opção após o debate.

No momento eram os esclarecimentos que me cabia fazer.

Enfatizo aqui a relevância do debate sobre a CASSI que vai acontecer no auditório da AFABB RS na próxima segunda feira às duas horas da tarde. Compareça ou assista pela internet. Nós estamos fazendo a nossa parte pelo aniversário de trinta anos da Afabb Rs. Faça a sua parte. A saúde de você e da sua família está em jogo. SAIA DO SOFÁ E PARTICIPE !

Vamos que vamos.

IDOSO, EU. ?

sexta-feira, 2 de março de 2018

Acertaram, com certeza ,  sou idoso. Tenho 79 anos. Sou oficialmente e biologicamente um idoso. Mas não sou velho.


Se instalou uma polêmica interessante a meu respeito paralela ao episódio da renúncia. Corajoso ou covarde ?  Idoso ou velho ?  


Talvez a frase mais emblemática, vinda dos adversários e infiltrados,  tenham sido estas: tem que ir pra casa cuidar dos netos. Já está passado. É carta fora do baralho.

Acho que esse julgamento é um tipo de discriminação que acomete não só a mim mas também outros colegas que         estão na minha faixa de idade e desempenham atividades profissionais ou comunitárias fora de casa.

Todos sabem a diferença entre o idoso e o velho. A literatura  está repleta de matéria a respeito. O velho é um desanimado. O idoso é ativo. O velho não tem aspirações. O idoso tem projetos e metas. A principal diferença, porém, está nos sonhos. O idoso sonha com coisas boas. Tem sonhos construtivos. É otimista. O velho só crítica, é rabugento, reclama de tudo. O idoso brinca. Tem fantasias. Adora a Disney, como mostra a foto abaixo. A foto acima é da semana passada na praia de Atlântida.

Eu tenho projetos bem definidos e alguns sonhos. No mínimo até setembro deste ano, que é quando termina meu mandato na Afabb Rs, que não pretendo renunciar, pois agora poderei exerce lo na sua plenitude.

Mas para falar bem a verdade no meio do caminho tem uma pedra. A crise dos oitenta. Já ouviram falar ?  Se fala muito na crise dos quarenta, mas pouco na dos oitenta, talvez porque poucos chegavam nessa idade provecta antigamente. Em maio eu faço oitenta anos. E ainda não consegui lidar bem com essa nova etapa. Que surpresa vai saltar do bolo de aniversário que vou ganhar ? 

De uma coisa tenho certeza, é a idade com dor. Uma das decisões de início de ano que tomei é a de fazer uma tatuagem. Um dos meus sonhos será realizado. O desenho escolhido foi de um pássaro. Será um condor.

Enquanto aguardo os oitenta vou tratando de me energizar. A praia me faz bem. Nada como o sol e o mar para mim. Tenho que ir a Punta del Leste no Uruguai, que considero um extraordinário polo energético. Volto sempre renovado de lá e com mais uns pilas no bolso que ganho no Cassino.  Estou pensando de ir, mas a distância rodoviária já começa a me amedrontar, o que antes eu nem cogitava.

Então é isso. Acho que enquanto eu vibrar com vitórias juridicas, com o sorriso de pessoas agradecidas por terem sido ajudadas, com projetos bem sucedidos, com manifestações de carinho e de amizade, com a inocência das crianças, a beleza das gurias, o esplendor dos jovens, os gols do Internacional,  eu não serei velho, serei apenas um idoso disfarçado e até muitas vezes não reconhecido como tal, pois minha aparência parece que engana.

Adorei aquela atendente da farmácia para quem pedi desconto no preço para idoso e ela gritou bem alto:  Idoso ?  Cadê o idoso ?  Cadê o idoso ?

E´um post leve de fim de semana. Ótimo findi para vocês. A semana que vem será dura. Vamos que vamos.

DEBATE SOBRE CASSI NA AFABB RS

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

A CASSI está na ordem do dia.  A ANS quase interviu na CASSI porque ela estava com desequilíbrio financeiro.  O BB antecipou, como adiantamento, 360 milhões da verba referente ao décimo terceiro.

No momento a crise foi superada. Em termos, pois existem queixas de  que a CASSI está deixando de honrar alguns compromissos e tem hospitais inconformados cancelando convênios.

Por outro lado a consultoria ACCENTURE apresentou relatório apontando falhas de gestão e apontando sugestões.  Esse relatório está restrito a um número reduzido. Deveria ser melhor e mais amplamente divulgado para que se saiba onde ficam os gargalos por onde se esvaem os recursos da CASSI.

Se discute se a maior culpa pela má situação da CASSI é dos eleitos ou dos indicados pelo BB.


O BB não esconde que quer se livrar do peso dos aposentados. Ofereceu cinco bilhões para se desobrigar e com isto melhorar seu lucro, pois tem que fazer provisão no balanço. Essa proposta era desvantajosa para nós pois a verba agora figurante no balanço do BB é de nove bilhões. O BB sempre quer ter vantagem. É realmente guloso.

Para debater esses assuntos que podem nos afetar profundamente AFABB RS marcou para o dia 12 de março um debate em seu auditório, as 14,00 horas, com transmissão pela internet para todo o país, entre representantes das quatro chapas que concorrem nas eleições para a  CASSI.


                  As eficientes funcionárias da AFABB RS

Não vai ser um debate chato e burocrático. Vai ser um debate quente. Sobre temas vitais. Queremos ouvir não só ideias e programas mas como os candidatos vão agir lá dentro, enfrentando pressões e a lei da mordaça. 

Quem quiser assistir no auditório, onde terá chance de participar, deve se inscrever desde já na secretaria da Afabb Rs ou por telefone  pois os lugares são limitados. 

Todos as chapas já confirmaram sua presença.  Essa iniciativa louvável da diretoria da AFABB RS faz parte das comemorações dos trinta anos de existência da entidade. Eu estarei presente. Depois do debate, vou escolher em que chapa vou votar.

Vamos que vamos.

QUEM VOCÊ PENSA QUE É ?

domingo, 25 de fevereiro de 2018

Essa pergunta foi feita por um infiltrado no blog. Quem você pensa que é  para desafiar Banco do Brasil e a poderosa Previ. Me chamou de ser inferior, um mero suplente de conselheiro deliberativo, já idoso. Em vez de perturbar o trabalho dos bem remunerados e bem qualificados dirigentes deveria me recolher para cuidar dos netos.


Já me chamaram de muita coisa. Relapso, de afirmar inverdade, de covarde por renunciar o mandato, de velho, por ter quase oitenta anos, mas de ser inferior foi a primeira vez.

                                                 Foto de 1976. Na presença do futuro Presidente
                                                 Gal. Figueiredo e do Gov. Guazelli, eu no fundo
                                                 discursando no Programa de Eletrificação Rural do Badesul.

Entretanto, o que me chamou atenção foi a pergunta, quem é você ?  Quem pensa que é ?  Puxei pela memória e descobri que há quarenta anos, quando eu era diretor vice presidente do BADeSul, em Porto Alegre, um personagem poderosíssimo me fez idêntica pergunta. Acho que o fato merece ser relatado . Faz parte da minha história.

                                            Como diretor do Badesul, em 1978, fazendo palestra.
                                         Tinha 39 anos. Foi quando ocorreu o episódio com o Pres. Geisel.

A minha secretária no BADESUL entrou nervosa na minha sala e me disse que estava com uma ligação telefônica de Brasília na linha diretamente do Palácio do Planalto. O Presidente Ernesto Geisel queria falar comigo.

- O próprio Presidente ?  Perguntei incrédulo.
- Ele mesmo.

Pelo inusitado, mandei chamar urgente meu assessor e dois gerentes da minha área, que era a operacional. Coloquei o telefone no viva voz e me preparei para ouvir de que se tratava.

- Aqui quem fala é o Presidente Geisel. Arrumei uns minutos na minha agenda para falar com o senhor sobre uma operação de empréstimo pelo FUNGETUR para o hotel Tal .... que o proprietário do hotel, que é meu velho amigo, me disse que está em suas mãos . Ele me falou que o senhor é contrário à operação.

- É verdade, Presidente.

- Mas se trata de uma operação de interesse para o turismo de Gramado e tem que sair.

- O endividamento do hotel é de 39 vezes. O hotel tem um cruzeiro para 39 de dívida. E não tem garantias adequadas. Meus técnicos deram parecer contrário.

- são burocratas. Se trata de ter um entendimento superior.

- Presidente, sei que Vossa Excelência está bem intencionado. O hotel é importante é o proprietário é pessoa séria, mas infelizmente tenho regras a cumprir que não passo deixar de atender.

- Mas quem você pensa que é para deixar de atender uma determinação do Presidente do Brasil ?

- Desculpe Presidente, mas se Vossa Excelência quer saber quem eu sou, por favor pergunte a seu irmão BERNARDO Geisel, ele me conhece bem, mora no mesmo edifício que eu.

- O senhor é , com certeza, é um impertinente. Passe bem.

Aos que duvidam, ainda tenho testemunhas vivas desse diálogo. O empréstimo foi carreado para outro banco oficial . Deu no que deu.

Fico pensando , serei mesmo impertinente ?  Ou cumpridor das regras e dos meus deveres ?  

QUE MENTIRA FOI ESSA ?

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018


Porto Alegre.  21 de fevereiro de 2018



Sr. Presidente do Conselho Deliberativo,



 Recebi a sua correspondência tecendo questionamentos sobre a minha carta de renúncia, que apresentei ao CD em 1 de fevereiro, somente na tarde do dia 16, por e-mail.

Em primeiro lugar lamento por ela ter chegado tão tardiamente às minhas mãos, só depois que eu fiz a postagem no meu blog transcrevendo a minha carta de renúncia. No dia anterior havia recebido e-mail da Secex solicitando a devolução da credencial de ingresso no Mourisco e do Ipad, por conta do término do mandato, o que me pareceu ser a comunicação oficial

Não pretendo polemizar aqui a respeito dos pontos elencados em sua ampla resposta,  procurando desqualificar minhas justificativas para a renúncia.  Gosto do debate, faz parte de minha formação jurídica, mas vou deixar a polêmica e o material que disponho para o debate público ou para responder eventuais ações judiciais, individuais ou coletivas, que sua correspondência deixa antever em seu final. Acho, caso suscitem essa exposição pública, que a mesma será saudável para a transparência do nosso fundo de pensão. Só tenham certeza de uma coisa: - ameaças nunca me intimidarão. Dar conhecimento a todos é uma mera obrigação de transparência.

Faço, porém,  uma reparação que não posso deixar  passar, por sua gravidade.  Eu não minto.  Eu não falo inverdade.  Eu não conto fato inverídico.  Eu não distorço.  Quando eu me refiro que a remuneração variável da diretoria ( bônus) foi decisão no conselho deliberativo por voto de minerva dos indicados pelo Banco isto não é uma “afirmação inverídica”, como Vossa Senhoria afirma em sua correspondência. Isso ocorreu na reunião do Conselho Deliberativo de julho de 2014.  Procure se informar a respeito. Leia a ata da reunião. Leia o meu blog dessa época. Os protestos generalizados. Falsear com a verdade é escrever que não ocorreu voto de minerva na sua gestão nem do seu antecessor, e deixar de se referir ao antecessor do antecessor, no caso o Presidente Robson Rocha. E´ contra esse tipo de postura maliciosa que me rebelo. E´ contra esse tipo de atitude que me revolto e não consigo mais conviver um minuto sequer. Só por isso a sua correspondência já mereceria reparo e sua afirmativa de que cometi afirmação “inverídica” representa uma infração a dispositivos legais que tratam de crimes contra a honra.

Também não posso deixar de me referir a uma injustiça cometida em sua correspondência quando trata do complexo hoteleiro de Sauípe e insinua que eu poderia ter contribuído para a solução melhor do problema. Tivessem seguido as sugestões do Conselho Fiscal proferidas em 2004 e 2005, o prejuízo teria sido muito menor. Mas o que me revolta não é a injustiça comigo, mas com a memória de um extraordinário colega, conselheiro indicado pelo Banco, Rolf Von Paraski, já falecido, que foi o relator da matéria e realizou um profundo e extraordinário trabalho, elogiado por todos. No meu livro, o Conselho Fiscal nas Empresas e nos Fundos de Pensão, consta o seguinte: “Talvez o trabalho mais significativo realizado pelo Conselho Fiscal na minha gestão como presidente foi o realizado no Complexo Hoteleiro Costa do Sauípe. Foi produzido um documento especial com cerca de trinta recomendações de saneamento, contendo elementos relacionados com aspectos jurídicos, contábeis, operacionais, financeiros e administrativos, contendo várias páginas e fundamentado em larga pesquisa, inclusive visita local ao complexo hoteleiro. E´ um trabalho que orgulharia qualquer conselho fiscal ou comitê de auditoria do mundo inteiro”. O atual conselheiro deliberativo Eduardo Pasa, para quem presenteei o meu mencionado livro, tem pleno conhecimento da competência e do trabalho do Rolf na Previ. Tamanha injustiça conosco doeu na minha alma, Rolf !

                                                         Com Rolf Von Paraski
                                                     O Conselho Fiscal 2004/2006


Por fim, e por enquanto, quero aqui dizer que sua correspondência me foi extremamente útil. Se alguma dúvida ainda tinha a respeito de minha decisão de renunciar, especialmente por causa do pouco tempo restante para o encerramento do mandato, sua correspondência teve o condão de dissipar, dando-me a certeza do acerto da minha opção.  Pois é contra essa redação de sua correspondência, tergiversando sobre a realidade dos fatos, procurando desqualificar quem diverge e critica, como faz costumeiramente a Previ contra aquele que escreve ao fundo solicitando esclarecimentos e providências, produzindo respostas que primam pela arrogância e por  omitir aquilo que desfavorece a Previ e seus dirigentes,  sim, é  tudo isso que não consegui mais suportar e estimulou  a minha renúncia.  Lamento os termos de sua correspondência se referindo a que eu fiz uma afirmação “ inverídica” . O fato de sua correspondência ter sido publicada em blogs, a pedido da chefia de gabinete do diretor presidente, me obriga a divulgar a presente no meu blog como réplica.

Atenciosamente

JOSE BERNARDO DE MEDEIROS NETO

P.S.  Anexo duas fotografias. Uma com o saudoso colega Rolf Vom Paraski. Outra, uma homenagem que presto ao conselho fiscal, por mim presidido, que produziu um relatório extraordinário sobre o Complexo hoteleiro de Costa do Sauípe, apresentando mais de trinta sugestões de saneamento.  E anexo uma postagem do meu blog sobre a decisão do CD de conceder bônus a diretoria através do voto de minerva do presidente Robson Rocha, para refrescar a memória.